Notícias

A MENINA DANÇA


Postado em 30/03/2015

A MENINA DANÇA title=

Já era madrugada de domingo (29/03) quando Baby do Brasil entrou no célebre palco do Circo Voador (RJ). O público, que vinha se deleitando com a ótima seleção de música nacional que o DJ tocava para entreter os presentes, estava ansioso para assistir a cantora após a sua volta ao mundo Pop.

E o show que Baby e banda apresentaram foi realmente inesquecível. A cantora distribuiu vitalidade e, ao longo de mais de duas horas de show, dançou, conversou com a platéia, deu pequenas orientações à sua banda, evangelizou e cantou. E como cantou!

Impossível não questionar as razões que levaram a cantora a ficar tanto tempo privando os fãs (e o público em geral) de suas apresentações incandescidas, tais como a feita nesse show que tinha como mote a divulgação do lançamento de seu primeiro DVD. Seu próprio filho fez questão de destacar o quanto era bom poder devolver essas músicas novamente ao público, após tantos anos.

Falando nisso, Pedro Baby, músico e filho de Baby, foi uma atração à parte. O rapaz teve momentos solo, cantou, tocou muito bem a sua guitarra (com habilidades que remetem rapidamente ao pai), comandou a banda, e babou por estar ali tocando com a sua mãe.

O show contou também com algumas surpresas, como a participação de um frágil Caetano Veloso dividindo os vocais com Baby em uma versão enorme de “Menino do Rio” e em “Acabou Chorare”, prejudicada por uma horrorosa microfonia. Subiram ao palco também o baterista Jorginho Gomes e o leãozinho Dadi no baixo que, unidos ao Pedro Baby, atacaram de Novos Baianos.

Em relação ao repertório, Baby cantou todos os seus sucessos, como destaque para a deliciosa “Sem Pecado e Sem Juízo”, cantada em uníssono por um Circo Voador lotado – todos os ingressos foram vendidos -, e “Cósmica”, faixa de textura roqueira, assim como na maior parte das canções.

Obviamente o show também agregou diversas canções dos Novos Baianos, como “A Menina Dança” e “Tinindo Trincando”. Mas talvez o que tenha surpreendido mais foram as homenagens prestadas (com direito a um discurso marcante) ao seu ex-marido e companheiro de banda Pepeu Gomes, coroada pela performance da canção “Masculino e Feminino”, já no finalzinho do show.

Com a partida já vencida e a torcida sempre ao seu favor, restou para Baby encerrar o show com “Barrados na Disneylândia”, novamente com a banda destruindo no instrumental com shows de percussão, baixo, metais e, novamente, Pedro Baby arrasando em tudo o que ele participou.

À vontade no palco e esbanjando vigor, fica a expectativa de que Baby possa continuar nos brindando com muitas apresentações como essa e, quem sabe, ela nos presenteie com músicas inéditas no futuro.




Esta nota foi lida 1020 vezes.


Busca por Artistas

A B C D E F G H I J K L M N O P Q R S T U V W X Y Z