Notícias

A MENINA DANÇA


Postado em 30/03/2015

A MENINA DANÇA title=

Já era madrugada de domingo (29/03) quando Baby do Brasil entrou no célebre palco do Circo Voador (RJ). O público, que vinha se deleitando com a ótima seleção de música nacional que o DJ tocava para entreter os presentes, estava ansioso para assistir a cantora após a sua volta ao mundo Pop.

E o show que Baby e banda apresentaram foi realmente inesquecível. A cantora distribuiu vitalidade e, ao longo de mais de duas horas de show, dançou, conversou com a platéia, deu pequenas orientações à sua banda, evangelizou e cantou. E como cantou!

Impossível não questionar as razões que levaram a cantora a ficar tanto tempo privando os fãs (e o público em geral) de suas apresentações incandescidas, tais como a feita nesse show que tinha como mote a divulgação do lançamento de seu primeiro DVD. Seu próprio filho fez questão de destacar o quanto era bom poder devolver essas músicas novamente ao público, após tantos anos.

Falando nisso, Pedro Baby, músico e filho de Baby, foi uma atração à parte. O rapaz teve momentos solo, cantou, tocou muito bem a sua guitarra (com habilidades que remetem rapidamente ao pai), comandou a banda, e babou por estar ali tocando com a sua mãe.

O show contou também com algumas surpresas, como a participação de um frágil Caetano Veloso dividindo os vocais com Baby em uma versão enorme de “Menino do Rio” e em “Acabou Chorare”, prejudicada por uma horrorosa microfonia. Subiram ao palco também o baterista Jorginho Gomes e o leãozinho Dadi no baixo que, unidos ao Pedro Baby, atacaram de Novos Baianos.

Em relação ao repertório, Baby cantou todos os seus sucessos, como destaque para a deliciosa “Sem Pecado e Sem Juízo”, cantada em uníssono por um Circo Voador lotado – todos os ingressos foram vendidos -, e “Cósmica”, faixa de textura roqueira, assim como na maior parte das canções.

Obviamente o show também agregou diversas canções dos Novos Baianos, como “A Menina Dança” e “Tinindo Trincando”. Mas talvez o que tenha surpreendido mais foram as homenagens prestadas (com direito a um discurso marcante) ao seu ex-marido e companheiro de banda Pepeu Gomes, coroada pela performance da canção “Masculino e Feminino”, já no finalzinho do show.

Com a partida já vencida e a torcida sempre ao seu favor, restou para Baby encerrar o show com “Barrados na Disneylândia”, novamente com a banda destruindo no instrumental com shows de percussão, baixo, metais e, novamente, Pedro Baby arrasando em tudo o que ele participou.

À vontade no palco e esbanjando vigor, fica a expectativa de que Baby possa continuar nos brindando com muitas apresentações como essa e, quem sabe, ela nos presenteie com músicas inéditas no futuro.




Esta nota foi lida 969 vezes.