Entrevistas Exclusivas

Confira a nossa entrevista com SNOBS, THE


Postado em 18/08/2011

SNOBS, THE WIDTH=

Banda que vem do interior de São Paulo, mais precisamente da cidade de Paraibuna. Eles iniciaram a carreira em 2006, lançaram um EP, e agora um ótimo CD que mostra bem as características dessa banda que surpreende a cada nova canção! A banda ainda nos cedeu um descontraída entrevista, onde, inclusive, dão algumas dicas para as bandas que estão começando.


GM- O que mudou na banda entre o lançamento do EP e do CD?

Amadurecemos muito de lá pra cá e muita coisa mudou. O EP "saudações snobianas" marcou nossa chegada meio tímida, foi nosso 1º registro nomeado como a chave para subirmos as escadas e produzir o albúm de forma rápida mas de grande impacto. O CD meteu o pé nas portas do anonimato,está sendo muito importante para banda, estamos mais seguros agora e prontos para o próximo.

GM- Como foi a recepção do CD por parte do público e mídia?

A mídia alternativa vê com bons olhos, já o mainstream ainda não tomou conhecimento. O público de uma forma geral digeriu bem a obra.

GM- O clipe de “Duas Pra Lá, Duas Pra Cá” foi muito bem feito, a banda participou ativamente da criação? O enredo já existia na época da composição, ou surgiu para o clipe?

O clipe foi algo que nos surpreendeu muito pois foi feito com pouca grana, camaradagem e muita força de vontade. Mesmo sendo caseirão a galera curtiu e a crítica veio de forma positiva, isso nos deixou muito satisfeitos. A banda não só participou do processo criativo como também atuou. A música veio primeiro, já o enredo surgiu após decidirmos que este seria o single a ser transformado em clipe.

GM- Sinto um pouco de tenacidade ao Rock de artistas como Raul Seixas na obra de vocês. É por aí mesmo?

Somos fãs de Raulzito sim, e muito...artistas como ele,Renato Russo e Cazuza são os que deram a porrada inicial para nosso processo de escrita.

GM- Quais as principais influências da banda?

Nossa cultura é nossa maior inflência, tudo que vivenciamos em nosso cotidiano aqui no chão caipira é influencia para a banda. Olhamos muito para nosso quintal e buscamos absorver ao máximo tudo o que nos cerca,tanto na questão musical, quando na questão tradicional do misticismo Parahybunense.Podemos destacar a moda de viola, a jovem guarda, a tropicália e tudo aquli que pira em nossas cabeças, afinal somos 6, é muita influencia vinda de vários lados.

GM- As letras da banda são bem construídas, “Paradoxo”, por exemplo, é carregada de questionamentos e de frases de impacto, como “...o melhor é deixar acontecer...”. Como é o processo de composição das canções da banda?
Cada compositor tem suas particularidades no desenvolver do processo criativo mas geralmente as letras surgem solitárias e depois formam melodias vocalizadas ou são compostas diretamente no violão e lançadas para a banda nos ensaios. Todos tem total liberdade para criar e se expressar, vamos conversando,afinando para chegar ao máximo naquilo que idealizamos. O automatismo está marcante nesse 1º album além de deixar a musa passar e a coisa acontecer.

GM - O instrumental da banda me chamou muito a atenção positivamente. Nas apresentações ao vivo da banda vocês fogem muito do som que está no disco, há muita improvisação?

Ao vivo não fugimos tanto quanto a sonoridade, porém nao somos tão fiéis ao CD. O bacana dos shows é que sempre tem uma pegada mais forte e a energia contagia o publico, além das pessoas poderem conferir de perto o nosso "saxopet" (instrumento criado por nós feito de garrafa pet onde tira-se um som familiar ao do saxofone).

GM- Algumas canções do álbum como “Surfista de Areia” sugerem apresentações explosivas. Quais são as características que vocês consideram como marcantes na banda?

Cada apresenatção é única e tudo pode variar de acordo com uma serie de fatores, um lance de energia muito forte pode levar a dias onde o show é um ensaio e o ensaio ser um show. Temos como marca a maneira de abordarmos os assuntos dentro de nossas musicas pois ela desperta interesse desde o pessoal da esquina com a criançada até os engravatados e intelectuais. Arriscamos uma linguagem que veio bem a calhar, livre onde a malucada está cantarolando "Eu sou a Ilha" como se fossem realmente a Ilha. Outra caracteristica é que não seguimos uma linha rock, buscamos sempre explorar novos rítmos, desde a canção de ninar ao "repente" explosivo. Temos nossa forma peculiar de vestimenta "saidos do brechó" que também chama muita atenção. Na verdade fazemos uma grande mistura, musica não é apenas som é também imagem e pra que não vire tudo uma musica só é preciso variar o beat. (rs)

GM- Como vocês vêem o cenário independente nacional? Que conselho vocês dariam para bandas que estão iniciando a carreira agora?

O espaço dentro do maistream ainda é pequeno e escasso, porém eles já reconheceram a importancia de caminhar ao lado da cena alternativa independente. Enquanto as grandes portas não se abrem vamos comendo a pizza pelas bordas e num momento propicio atacamos o recheio.A cena hoje também tem crescido, surgem bandas novas e boas todos os dias que tem se unido com a chegada da Rede de Cultura Livre "Circuito Fora do Eixo" .Muita coisa tornou o caminho mais facil para as bandas que estao começando, mixtape, internet, download remunerado, clipes caseiros, redes sociais, zines, fanzines....o q temos a dizer para quem esta começando é para chegar junto com os coletivos (fora do eixo) que as portas estao se abrindo cada vez mais para a cena e a grande midia esta se rendendo a isso...o caminho é longo e arduo mas se realmente desejamos isso devemos meter o pé na porta.(rs)

GM- Quais os próximos passos da banda? Podem adiantar alguma coisa?

Estamos preparando algo especial, um "almoço nu" que mostra bem nossa nova fase...as novidades ja estão nos palcos. Fora dele, estamos caminhando em direção a porta, muita gente ainda não ouviu falar em SNOBS, nosso Album ainda continua ofuscado. Estamos indo para a televisão mostrar nossa musica.Existem muitas terras para se conquistar!!!

GM- O Galeria Musical agradece a entrevista e deseja boa sorte e sucesso para a banda!

Nós so temos q agradecer o convite e a oportunidade de apresentarmos o nosso trabalho no site de vocês que é muito massa e desejamos que essa parceria continue...Obrigado a todos da Equipe e sucesso.Bons ventos para todos nós!





Esta entrevista foi lida 1173 vezes.