Entrevistas Exclusivas

Confira a nossa entrevista com WILIAN TIBÉRIO


Postado em 21/11/2011

WILIAN TIBÉRIO WIDTH=

Wilian Tibério é um artista paulista de muito talento que acaba de lançar “Palavras de Um Livro”, seu segundo CD. O disco passeia por suas influências, a saber, Pop/Rock nacional, desfilando canções de talentosas composições e arranjos impressionantes. Wilian ainda nos concedeu uma longa entrevista onde fala de sua carreira e influências, além de entregar alguns de seus planos futuros.


GM: Foi uma grande surpresa ouvir o seu som. O primeiro contato que tive com suas músicas foi através de “Palavras de Um Livro”, senti influência direta do Biquíni Cavadão, é isso mesmo? Fale um pouco sobre suas influências musicais.

WT: Que bom saber que as músicas lhe surpreenderam Anderson. O pessoal da Oversonic Music também de certo modo ficaram surpresos quando ouviram as gravações, pois somente as vozes foram gravadas no estúdio Oversonic, assim se fizeram também as mixagens, a masterização e a arte do cd, o restante levamos pronto. E confesso: fiquei satisfeito com o trabalho realizado por todos os profissionais que participaram desse projeto musical. Espero que outros ouvintes possam ter o mesmo sentimento, pois nada mais gratificante que isso.

Minhas influências principais são músicas dos anos 80 e 90. Poxa e são tantas que preciso citar algumas: Barão Vermelho, Biquini Cavadão, Bon Jovi, Capital, Cazuza, Claudio Zoli, Dire Straits, Djavan, Engenheiros do Hawai, Eu mesmo (rsrsrsrs), Gilberto Gil, Guns, Ira, Joe Satriani, Jorge Bem, kid Abelha, Legião Urbana, Leoni, Lulu Santos, Marina Lima, Michael Sulivan e Paulo Massadas, Michael Jackson, Nenhum de nós, Nirvana, Paralamas, Oasis, Pepeu, Pink Floyd, Queen, Raul, Roberto Carlos, Roupa Nova, RPM, Santana, Scorpions, Steve Vai, Tim Maia, Titãs, U2 Uns e Outros, van-halen, enfim; muitos outros.

Então Anderson, na verdade “eu diria que tem um pouco de tudo”, pois ouvia e sou fã de várias bandas dessa época. Provavelmente você tenha sentido isso pelo meu estilo musical, o “pop-rock” e até mesmo o próprio timbre de voz em algumas músicas, pois dependendo do tom faz lembrar alguns artistas dessa época.

GM: E sobre os artistas mais recentes, quem você curte? O que você ao anda ouvindo?

WT: Anderson, na verdade tá meio difícil curtir algo que esta na mídia hoje, pois não fazem lá o meu gosto musical e de certo modo estilo. Entretanto, dos anos 90 em diante tenho curtido muito, Jota Quest, Gabriel Pensador, Marisa Montes, Tribalistas, Skank, Detonautas, Maskavo, Natiruts, Cidade Negra.

GM:Vi que o seu CD de estréia é cem por cento autoral, como foi o processo de composição do álbum? As músicas já existiam?

WT:Sim, é um trabalho totalmente autoral. Na verdade, comecei a compor em meados de 2003. Gravei meu primeiro cd autoral em 2005 intitulado “A sua essência”, e que por sinal foi bem aceito pela galera. Algumas músicas chegaram a tocar em rádios de minha região e chegaram a ser Top Hit, tais como: Mapa da Vida, Esse teu olhar e Como é bom viver. Esse trabalho foi que fez eu conhecer alguns produtores do Rio de Janeiro e de São Paulo, que se impressionaram com as músicas e isso me fez “acender a luz” e continuar a batalha até conseguir firmar a atual parceria com a Gravadora Oversonic Music e gravar esse novo cd intitulado PALAVRAS DE UM LIVRO e com a Editora e selo fonográfico SeastarMusic.

Algumas músicas já existiam. Outras foram criadas nesse intervalo de tempo entre o primeiro cd “A sua essência” e esse novo cd “Palavras de um livro”. Na verdade foi até difícil escolher as músicas que iriam entrar nesse novo cd. Poxa, ficaram muitas outras músicas boas de fora esperando a oportunidade de sair em um próximo cd.

GM: Canções como “Meu Anjo Colorido” e “Como Num Passe de Mágica” são extremamente calcadas nos anos oitenta, no caso da primeira, a construção da faixa chega a lembrar Legião Urbana. Acredito que um vídeo clipe dessa música seria uma boa ideia. Pensa em gravar clipes?

WT: Penso sim, eu estou estudando. Cheguei a conversar com os amigos da Oversonic Music; chegamos a falar sobre isso. Estou planejando, pois requer um bom investimento para fazer algo de qualidade. Acredito que não adianta fazer simplesmente um clipe, tem que ser algo bom, que realmente passe a verdade do artista que foi expressa através da música composta. É isso que procurei e procuro passar através de minhas composições, minha verdade, meu universo e que muitas vezes pode ser assimiladas as de muitos outros ouvintes, fãs.

GM: Como tem sido a aceitação do seu CD por parte dos fãs?

WT: Brother, graças a Deus, o mesmo sentimento que você teve quando ouviu as músicas pela primeira vez tem acontecido com a galera que as ouvem; ou seja; eles tem se impressionado, tem gostado, tem deixado recados muito legais em sites, blogs. Isso é muito bom, acredito que estou no caminho certo. Percebo que o mercado esta meio carente de boas composições, de algo com conteúdo, com letra, com melodia, até mesmo com uma pitada de ideologia, se é assim que posso dizer. É nisso que tenho trabalhado e os resultados estão sendo excelentes. Pois sabemos que músicas boas perduram durante os anos, é nisso que penso, que procuro quando componho. E estou ficando satisfeito com o retorno do público.(feedback).

GM: Vi algumas canções ao vivo pelo YouTube e me impressionei o quanto o som assemelha-se com o que está no CD, acho importante quando um artista consegue imprimir a sua verdade no álbum e reproduzi-la ao vivo. Como tem sido as apresentações ao vivo?

WT: Sim Anderson, é o que temos procurado fazer: Algo bom, agradável, que reflita nossa verdade. Em nossas apresentações, tenho me dedicado e procurado chegar o mais próximo possível do que foi gravado e para isso conto com músicos e amigos que são excelentes profissionais. Embora sabemos que som ao vivo é um pouco diferente do que acaba sendo impresso no cd ( pois envolve muitos fatores: inclusive emocionais), estamos conseguindo em nossas apresentações bons resultados e chegar bem próximo a isso, como pode ter percebido nesses vídeos.

GM: Alguma música em especial te surpreendeu ao vivo?

WT: Sempre surpreende, um bom exemplo é a música “Meu Anjo Colorido”, um refrão bem forte e fácil de gravar. O pessoal nem conhece a música direito, e acaba cantando junto. “Isso é mágico”. O mesmo acontece com a música “Como Num Passe de Mágica”.

GM: Ao mesmo tempo que você tem essa influência oitentista, é perceptível que você navega também por outras décadas, como a de noventa, caso da música “Das Coisas do Meu Coração”, acho essa na linha do Jota Quest. Você se preocupou com essas nuances enquanto gravava o CD ou isso rolou de forma natural?

WT: Sim, prova disso é o que deixei relatado em meu release, conforme segue: “As músicas de uma maneira descontraída trazem em suas letras assuntos referentes ao sentimento, o romantismo, o amor, o presente e até mesmo o futuro e, em seus arranjos uma vasta pesquisa musical que remetem vagamente o público aos anos 80 e 90 sem perder a originalidade e modernidade”. Mas, ao mesmo tempo, acaba de certo modo “rolando naturalmente”. Pois sempre acabamos nos influenciando pelo que esta “rolando atualmente” (em rádios, Tv, filmes) no momento de fazer a composição, ou até mesmo os arranjos para gravação.

GM: O que mudou do primeiro CD para esse?

WT: Tudo: o modo de compor, principalmente de arranjar as músicas e de cantar. É como algo que fora lapidado durante o passar dos anos. O primeiro cd foi uma porta que acabou se abrindo: Um dom, pois comecei a compor de repente e consequentemente resolvi gravar o cd “A sua essência”. O interessante é que enquanto estava gravando no estúdio, estava compondo as próximas músicas dele. Muitas vezes até dentro do estúdio mesmo, quando dava algum intervalo.Muitas vezes nem terminava de compor uma, e já vinha outra: acabava compondo duas músicas quase que ao mesmo tempo. Foi algo meio que, vamos dizer: “ao acaso”. Algo que tinha que acontecer para chegar aqui nesse novo trabalho.

GM: Quais os próximos planos para a sua carreira?

WT: Estamos iniciando um trabalho de divulgação desse novo trabalho PALAVRAS DE UM LIVRO. Estou buscando entrar nesse mercado e alcançar uma boa aceitação do público. Graças a Deus já tenho conseguido bons resultados. Uma boa resposta do público em geral e também de profissionais da área fonográfica, artística e de comunicação que tem gostado do que tem ouvido e consequentemente tem nos dado oportunidades para nos apresentarmos em programas de Tv, rádios em matérias escritas e faladas. Também já tivemos projetos aprovados para apresentação de show em teatro e execução de músicas em rádios e sites. Estamos aguardando a abertura de novos editais para apresentarmos projetos de shows.

Quanto ao futuro, só posso dizer que será uma conseqüência do que vier a ocorrer daqui para frente. Estou em um grande mar aberto que é esse mercado da música e iniciando um trabalho. Hoje sou um artista independente e dependo muito de boas parcerias para alcançar aceitação do público e um determinado reconhecimento , consequentemente me manter. Mas sou otimista, conheço meu potencial e dos amigos, parceiros, profissionais que me acompanham. Agora é lutar e ir adiante buscando melhorar a cada dia. È procurar encontrar profissionais influentes do ramo para abrir portas e o restante como já dito: “é o que esta por vir”.

GM: O Galeria Musical deseja bastante sucesso para você e que seu talento possa ter o reconhecimento que você merece. Conte sempre conosco!

WT: Desejo o mesmo para vocês!!! È um grande prazer e orgulho ter uma matéria editada aqui na Galeria Musical. Agradeço a Deus pelo dom e vocês e demais parceiros e profissionais que me acompanham e também do meio artístico e de comunicação pela oportunidade que tem nos dado. Agradeço também pelo profissionalismo e gentileza de nos ceder esse importante espaço. Acredito que nada é por acaso e que teremos boas histórias ainda para contar. Muito obrigado e que Deus nos abençoe sempre!!! Pois para mim : A MÚSICA É ALGO DIVINO, “MÁGICO”. O que seria do mundo sem a música. Portanto, “viva a Música” e bem o momento presente.





Esta entrevista foi lida 1477 vezes.