New Document

Galeria Musical

Galeria de Músicas


Músicas

    1 - The Loner
    NEIL YOUNG
    NEIL YOUNG
    1969
    Por Johnny Paul Soares







    Presente no debut de Neil Young autointitulado de 1969, essa pérola é capaz de te levar por terrenos de fantasias celtas, devido ao instrumental pós-refrão. A música fala de uma pessoa observadora e solitária, um alguém que ficou assim pelo fato de seu amor ter ido embora. The Loner aparece esporadicamente no repertório de show de Neil Young até hoje.

    2 - Cinnamon Girl
    EVERYBODY KNOWS THIS IS NOWHERE
    NEIL YOUNG
    1969
    Por Johnny Paul Soares







    Graças às guitarras afinadas em tons diferentes, essa canção tem um leve sabor nostálgico. A banda Crazy Horse acompanha Young nesse disco "Everybody Knows This Is Nowhere", de 1969, o segundo da carreira do canadense. O guitarrista Danny Whitten faz os vocais mais altos, enquanto Neil mantém o tom baixo. Em um dia ensolarado de 1970, quando bebia ao lado de seu carro parado na estrada, um caminhoneiro passou e o reconheceu, indagando: "Quem é Cinnamon Girl?".

    3 - When You Dance I Can Really Love
    AFTER THE GOLD RUSH
    NEIL YOUNG
    1970
    Por Johnny Paul Soares







    O terceiro trabalho traz uma música em que a miscelânea vocal presente não é nada comum. Você pode agitar ao som de uma música de "agito recuado"? Se sim, aumente o som e deixe essa beleza rolar. Distorção em excesso é uma paixão antiga do cara.

    4 - Old Man
    HARVEST
    NEIL YOUNG
    1972
    Por Johnny Paul Soares







    O pai de Neil Young costumava dizer que essa música foi escrita para ele... "E pode ser, não é? Afinal, a música é escrita para quem a recebe", dizia este cara que gravou "Harvest" em 1972, disco que contém esse melancólico Country Folk escrito para Louis Avila, um senhor que morava e cuidava das redondezas do rancho Broken Arrow de Neil Young na época. James Taylor faz uma participação especial tocando banjo e Linda Ronstadt contribuiu muito bem com vocais de apoio.

    5 - Cortez The Killer
    ZUMA
    NEIL YOUNG
    1975
    Por Johnny Paul Soares







    Uma das mais poderosas e reflexivas de toda a extensa carreira de Neil Young. "Cortez The Killer" é uma composição de apenas três acordes onde a guitarra encontra lugar para chorar e conversar com o ouvinte. No Livro "Neil Young - A Autobiografia", o artista conta como uma abrupta queda de energia desligou todo o sistema de gravação em 1975, perdendo várias partes gravadas, inclusive o final de "Cortez". Isso explica a música terminando repentinamente em fade out.

    6 - COMES A TIME
    COMES A TIME
    NEIL YOUNG
    1978
    Por Johnny Paul Soares







    Neil Young já dizia que essa é uma de suas preferidas, um lindo modelo country com uma gaita muito bem-vinda para dar suporte à voz suave do guitarrista. "Comes A Time" está no álbum de mesmo nome, gravado entre 1975 e 1977 e lançado em 1978. Se você quiser ter amor à primeira vista pelo trabalho deste cara, escolha um sábado ou um domingo entre sete e oito horas da manhã em que tenha sol e sinta algo tocando sua alma. "Comes A Time" pode realizar isso.


BUSCA POR ARTISTAS

A B C D E F G H I J K L M N O P Q R S T U V W X Y Z

BUSCA INTERNA

ANIVERSARIANTES DE HOJE


ANUNCIANTES