New Document

Galeria Musical

Entrevistas exclusivas

01/03/2016DELIA FISCHER

Por Tiago Freitas

No dia 15 de fevereiro, a cantora Delia Fischer, anunciou em uma rede social, o lançamento de seu novo trabalho: um single com regravação de Olha, de Roberto Carlos e Erasmo Carlos, já disponível nas principais plataformas digitais, como Spotify, iTunes, Google Play, Deezer e Amazon.


A faixa, gravada pelo Rei em 75, também famosa na versão da baiana Maria Bethânia (As canções que você fez pra mim, dedicado a obra de RC), ganhou nova vida com ares de jazz. Delia, que também é compositora, arranjadora e pianista, quis aproximar suas referências as do homenageado, como João Gilberto e Chat Baker.

“O meu critério engloba a minha escola, que é interpretar, mas também arranjar, e como faço teatro, penso na cena no que existe nesse subtexto”, afirma a cantora carioca, sobre o processo de construção da sua versão e o que lhe influencia.

Com arranjo de piano e voz da própria Delia, baixo de Pedro Guedes, bateria de Nailson Simões e violino de Pedro Mibielli, em breve, sairá um videoclipe oficial, gravado na Urca, bairro onde Roberto mora. Antes do lançamento oficial, confira a entrevista com essa artista multitalentosa:

O que te levou a gravar Olha?

Essa música entrou no show de lançamento do meu CD autoral “Presente”, em 2010. A razão é que precisava intercalar minhas músicas inéditas (do disco autoral) com coisas conhecidas, para isso eu trouxe “Blackbird” (dos Beatles) e “Olha”, desde então nasceu uma vontade grande de fazer um trabalho de interprete com essas músicas e outras

Quais outras músicas do Roberto você tem vontade de gravar?

A próxima da lista não é de autoria dele, mas foi imortalizada pela sua voz. Estou fazendo nos shows a canção de Antonio Marcos, “Como vai você”.

O que acha das outras versões de Olha?

A música é linda em todos os sentidos, permite várias leituras. Gosto de várias delas, quero mostrar como penso nela, usando outros recursos como modulações no tema e trazendo também para ambiente do jazz com improvisos e mudanças de andamento.

O que pretende com esse single?

Olha, sinceramente? Quero registrar algo que acontece sempre com muita alegria e retorno nos meus shows. Sinto que essa canção, da forma como faço, mostra principalmente muita sinceridade e amor. Pretendo também mostrar que, apesar de ser uma artista que veio do jazz e do que se considera mais complexo e arrojado, não concordo que o complicado é melhor. De um tempo para cá, percebo que há uma genialidade imensa na simplicidade, então sim, esse single me aproxima de uma canção popular mesmo. Sinto que quando faço essa música nos shows, consigo juntar gregos e baianos (o povo do jazz que gosta e o povo que adora o Roberto e Erasmo). Isso me representa totalmente, usar a mestiçagem na arte. Gosto de Bach, Egberto Gismonti, Roberto e Erasmo, gosto realmente de todos e procuro trazer isso também no meu lado compositora.

Qual a expectativa em relação ao que o Roberto vai achar?

Espero que ele curta e veja como uma grande homenagem. Assim como fiz com o Egberto Gismonti no CD “Saudações Egberto”, releio a obra dele com muita liberdade e personalidade, o que o fez me aproximar ainda mais do amigo e do imenso compositor que ele é.

Fale sobre o clipe

O clipe, dirigido pelo Pernan Santos, gravado e editado por Fabiano Marques, é rodado na Urca, onde o Rei RC mora. É uma homenagem a ele, ao Rio a beleza desse lugar. O roteiro diz o que fala a canção de forma muito sutil, é só procurar que você encontra as situações e palavras: “Vem viver comigo meu caminho”. Traz a bicicleta que é o caminho que amo no Rio, por isso ela está presente ali, “e viver a vida só…” É um aprendizado que temos que ter, o amor só se chega de verdade quando você pode ser sozinho também. São as nossas viagens de leituras sobre o assunto que estão por lá, num lindo dia azul, num dos bairros mais bonitos do Rio de Janeiro, com seus cartões postais no meio disso tudo

Ainda pretende participar de um musical sobre a obra do Rei?

Seria fantástico. Quem sabe ainda aconteça?

Como foi a autorização para gravar essa música? Muito difícil?

Essa música está apenas no formato digital, a autorização formal existe nos CDs físicos, então, estamos dentro do correto.



Esta entrevista foi lida 573 vezes.

BUSCA POR ARTISTAS

A B C D E F G H I J K L M N O P Q R S T U V W X Y Z

BUSCA INTERNA

ANIVERSARIANTES DE HOJE


ANUNCIANTES



New Document