New Document

Galeria Musical

Resenha de Livro

    MAN ON THE RUN – PAUL MCCARTNEY NOS ANOS 1970Autores: TOM DOYLE
    Editora: Leya Brasil
    Artista: PAUL MCCARTNEY
    Ano: 2014

    Resenha por Valdir Junior
    Opinião do autor:
    Opinião dos leitores: 5.00 de um total de 3 votos





    Paul McCartney é um dos músicos em que a vida mais foi contada em centenas de livros lançados no mundo todo por diversos autores. A maioria desses livros se concentra em quase sua totalidade nos anos primordiais do jovem Paul, sua paixão pela música, a amizade com George Harrison e John Lennon, e todo período da formação dos Beatles, passando pelo estouro mundial da banda até o seu fim em 1970.

    Mesmo um livro como “Many Years From Now” do autor Barry Miles, que é o mais perto de um biografia autorizada já lançada até hoje (o próprio Paul não tem interesse em lançar uma autobiografia), também se concentra nesse período de história da vida de Paul McCartney. A década de 1970, período muito importante e crítico na vida e carreira de Paul, é muito pouco comentado e analisado tanto nesse como nos outros livros já lançados até hoje.

    Para suprir essa deficiência, temos agora o mais recente livro do jornalista musical Tom Doyle, “Man On The Run – Paul McCartney nos anos 1970”, lançado aqui no Brasil pela Editora Leya. Tom já escreveu e colaborou para revista MOJO, The Guardian, Marie Claire, The Times, Elle e também para a Sound on Sound. Nos últimos tempos publicou varias entrevistas de perfil com astros da música como: Keith Richards, Eltom John, R.E.M, U2, entre outros.

    O Livro percorre todo caminho traçado por Paul a partir do fim dos Beatles, no final de 1969, momento esse difícil e delicado e onde a autoconfiança, talento e capacidade de Paul foram questionados pelo próprio, passando pela gravação de seus primeiro álbuns solo (McCartney, RAM), a formação dos Wings, banda que aos trancos e barrancos Paul foi liderando durante a década, até o fim da mesma com o episódio de sua controversa prisão no Japão em Janeiro de 1980.

    Para contar em detalhes de forma objetiva todo esse período, Tom Doyle entrevistou o próprio Paul McCartney, os ex-membros dos Wings (Denny Laine, Laurece Juber, Steve Holly, Henry McCullough, Denny Seiwell e outros), assim como pessoas ligadas a McCartney nesse período como técnicos de som, roadies, e entrevistas de Linda McCartney dadas antes de sua morte em 1998.

    No final da leitura do livro, conseguimos ter uma maior compreensão desse período da vida e carreira de Paul, e entender o quanto essa década foi importante tanto para curar e cicatrizar certas feridas abertas no final de 1969, como para o mesmo aceitar seu passado e seguir em frente carregando a chama de toda uma revolução musical iniciada pelos Beatles, e procurando sempre criar e encontrar o seu melhor para música, seus fãs, e para si mesmo, numa constante que ele vem fazendo até hoje.

    Resenha publicada em 14/07/2014





    Esta resenha foi lida 1783 vezes.



Classifique o livro!



BUSCA POR ARTISTAS

A B C D E F G H I J K L M N O P Q R S T U V W X Y Z

BUSCA INTERNA

ANIVERSARIANTES DE HOJE



ANUNCIANTES



outras resenhas do mesmo artista


CDs


DVDs