Resenha do Cd Sou Mais O Samba / Candeia

SOU MAIS O SAMBA title=

SOU MAIS O SAMBA
CANDEIA
2014

DISCOBERTAS
Por Anderson Nascimento

Em 2011 a gravadora Discobertas sacudiu o mundo do Samba ao lançar em CD os três álbuns do mestre Candeia: “Candeia” (1970), “Seguinte: Raiz” (1971) e “Samba de Roda” (1975). Agora, no finalzinho de 2014 o selo volta a surpreender os admiradores do ritmo mais brasileiro de todos ao lançar o box “Sou Mais o Samba”, que adiciona mais dois CDs inéditos aos discos do lançamento anterior. Trata-se de “Raridades” (2014) e “Candeia, O Compositor” (2014).

O álbum “Raridades” é um verdadeiro presente não só para os fãs do Candeia, mas para todos aqueles que gostam de Samba. A arrepiante “Samba da Tendinha” e a tristonha “O Último Bloco” são faixas extraídas de um compacto lançado pela gravadora Equipe em 1972.

Destacam-se também as duas faixas pinçadas do disco “Minha Portela Querida” (1972): o samba exaltação “Deixa de Zanga” e o partido alto “Meu Dinheiro Não Dá”. Falando em partido Alto, “Raridades” também compila seis partidões saídos da coleção “Partido Alto em 5 Vols 1 e 2” (1975), com destaque para o informal papo de bambas da canção “Lá Vai Viola”.

Fecham o disco “Sou Mais o Samba”, faixa que dá nome ao box e que agrega a querida Dona Ivone Lara, e “Expressão do Teu Olhar”, ambas do álbum “Quatro Grandes do Samba” (1977), lançado em parceria com com Nelson Cavaquinho, Guilherme de Brito e Elton Medeiros.

Já o também inédito disco que fecha o box “Candeia, O Compositor” compila fonogramas de diversos artistas interpretando composições de Candeia, incluindo artistas como Elza Soares, Abílio Martins, Osvaldo Nunes, Elizeth Cardoso, entre outros, compiladas em ordem cronológica.

Entre as gravações estão raridades como “Já Sou Feliz”, longínqua faixa lançada no disco “Grande Sucessos da E.S. Portela” (1962) e “Parece Mandinga”, em gravação de Osvaldo Nunes, extraída do compacto do artista lançado em 1969.

As preciosidades ficam por conta de canções como “Minhas Madrugadas”, do LP “Elizeth Sobe o Morro” (1965), e “A Flor do Samba”, clássico lançado no compacto lançado por Elza Soares em 1969. Isso sem contar com as ótimas gravações de “Sinhá, Sinhá” feita pelos Mensageiros do Samba da Portela, extraído do disco “A Vez do Morro” (1966) e a versão em castelhano de “O Mar Serenou”, lançada por Martinha na Espanha em 1977.

Os discos ainda trazem em seus encartes todas as letras das onze canções, além de informações sobre seus lançamentos originais. Ambos os lançamentos são tão bacanas que funcionariam perfeitamente fora da caixa, em lançamentos avulsos.

Em suma, depois de trazer tantos lançamentos importantes oriundos do Samba, com discos de artistas como Beth Carvalho, Xangô da Mangueira, Mano Décio da Viola, Martinho da Vila, Gilson de Souza, Jorginho do Império, Os Partideiros do Plá, Moreira da Silva e Elza Soares, esse novo box da Discobertas é mais um ponto a favor para a gravadora que vem redescobrindo e dando luz a tantos tesouros antes empoeirados nos baús das gravadoras.

Resenha Publicada em 22/12/2014





Esta resenha foi lida 1534 vezes.




Busca por Artistas

A B C D E F G H I J K L M N O P Q R S T U V W X Y Z





Outras Resenhas do Artista


Outras Resenhas