Resenha do Cd Before We Were So Rudely Interruped / Animals, The

BEFORE WE WERE SO RUDELY INTERRUPED  title=

BEFORE WE WERE SO RUDELY INTERRUPED
ANIMALS, THE
1977

JET RECORDS
Por Anderson Nascimento

Quando o tecladista Alan Price, deixou a banda inglesa The Animals em 1965, o grupo liderado por Eric Burdon seguiu um caminho musicalmente diferente do que o grupo praticou em seus álbuns anteriores. Já rebatizado de “Eric Burdon and The Animals” e com uma formação diferente, o grupo optou por um som próximo ao psicodelismo que começava a entrar em voga na época.

Ao longo dos anos 1970 Eric Burdon integrou a banda War, que chegou a obter algum êxito musical, mas no fim de 1976, o que parecia impossível aconteceu: o Animals estava de volta com os cinco membros da formação original, para uma pequena turnê que viria acompanhada um ano depois pelo inédito álbum “Before We Were So Rudely Interruped”.

Como não poderia deixar de ser, o grupo apostou em uma sonoridade que tinha ecos do som da própria banda em seus primeiros álbuns, com o seu já reconhecido Rhythm and Blues apoiado principalmente no órgão de Price e na voz de Burdon.

Assim, o grupo abre o disco com a ótima “Brother Bill (The Last Clean Shirt)”, um blues de levada simples com um incrível som que remete às primeiras gravações do grupo. A animadora sequência traz uma boa versão de “Its All Over Now, Baby Blue”, do Dylan, seguida pelo Blues-Rock “Fire on The Sun”, onde Eric se esgoela sob a guitarra pontual de Hilton Valentine e os teclados de Price, mostrando que a sua voz estava em dia.

Juntamente com “Fire on The Sun”, “Many Rivers To Cross” é um dos melhores momentos do disco. Nela a banda consegue fazer uma versão hipnótica e emocionante do clássico escrito e gravado por Jimmy Cliff em 1969.

Obviamente o disco traz uma série de canções no estilo Blues. Entre eles, os mais rasgados são “As The Crow Flies”, nesse caso uma faixa fraca em relação ao restante do disco; “Please Send Me Someone To Love”, faixa com uma nova dose de virtuose vocal de Eric Burdon. Entre outros bons momentos estão “Just a Little Bit” e “Riverside Country”, esta última, a única faixa composta pela banda.

Mesmo que o repertório oscile entre o ótimo e o regular, a banda se mantém firme e determinada em todo o disco, o que faz o saldo final deste disco muito bom. Talvez o que possa ter atrapalhado o sucesso do álbum foi o fato de ele não ter tido qualquer apoio da gravadora na época de seu lançamento, já que infelizmente as prioridades musicais eram outras.

Depois desse álbum a banda ainda voltaria a se reunir uma última vez para alguns shows que precederam a gravação do disco “Ark”, lançado em 1983. A morte do baixista original Chas Chandler em 1996 e as brigas judiciais por conta dos direitos legais pelo nome do grupo pôs fim a qualquer possibilidade de reunião com os membros originais, mas este disco é uma prova de que a banda poderia ter tido uma maior longevidade ainda nos anos 1960.

Resenha Publicada em 12/05/2015





Esta resenha foi lida 747 vezes.




Busca por Artistas

A B C D E F G H I J K L M N O P Q R S T U V W X Y Z





Outras Resenhas do Artista

CDs


Outras Resenhas