Resenha do Cd Zoom In / Ringo Starr

ZOOM IN title=

ZOOM IN
RINGO STARR
2021

UNIVERSAL MUSIC
Por Anderson Nascimento

Primeiro EP da carreira do ex-beatle Ringo Starr, “Zoom In” traz 5 canções que misturam emoção e diversão, algo comumente encontrado nos discos solo do baterista mais querido do mundo.

O álbum começa com a emocionante “Here’s To The Night”, lançada oportunamente às vésperas do Natal, e que traça um panorama sobre o primeiro natal após o início da Pandemia causada pelo COVID-19. A canção, escrita pela hit maker Diane Warren, contou com a participação de gente como Paul McCartney, Joe Walsh, Sheryl Crow, Lenny Kravitz, Ben Harper, Dave Grohl e Eric Burton, dentre outros, incorporou o espírito e o sentimento de todos e entrou para o panteão das melhores gravações do batera.

Quem acompanha a carreira do Ringo já está acostumado com singles como “Zoom In Zoom Out”, uma faixa deliciosamente divertida, de letra bacana, que gruda na ponta da língua. Eu mesmo já me peguei várias vezes cantando a música em momentos de distração.

Outra faixa interessante é “Teach Me Tango”, aqui uma composição do próprio Ringo, em parceira com Sam Hollander e Grant Michaels. Ao longo de sua discografia Ringo sempre flertou com ritmos latinos, haja vista algumas das várias canções desse tipo, gravadas desde “Las Brisas”, do álbum “Rotogravure”, lançado em 1976. “Teach Me Tango”, não é uma canção latina, ao invés disso, é um Rock irresistível de côros e riffs imponentes com letra divertida que cita o ritmo argentino.

“Waiting for the Tide to Turn” é a faixa menos legal do disco, muito embora seja um reggaezinho bem executado. Cabe a “Not Enough Love in the World” fechar o EP, e aqui uma repetição do espírito Peace and Love presente em todos os discos recentes do Ringo, com letra reflexiva de Joseph Williams e Steve Lukather, que também se destaca por pilotar um solo de guitarra magnífico.

Lançado em março de 2021, o álbum surpreendeu em relação às vendas, pois toda a primeira tiragem, tanto em CD quanto LP, se esgotou. No auge dos seus 80 anos, esse é o Ringo que todos queremos ver ainda por muito tempo: um artista relevante, cheio de energia, e que segue produzindo trabalhos capazes de orgulhar os seus fãs.

Resenha Publicada em 05/06/2021





Esta resenha foi lida 130 vezes.




Busca por Artistas

A B C D E F G H I J K L M N O P Q R S T U V W X Y Z







Outras Resenhas do Artista

CDs


Outras Resenhas