Resenha do Cd Hackney Diamonds / Rolling Stones, The

HACKNEY DIAMONDS title=

HACKNEY DIAMONDS
ROLLING STONES, THE
2023

POLYDOR
Por Thais Sechetin

Dia 20 de outubro os Stones lançaram um álbum de inéditas, Hackney Diamonds, coisa que não acontecia desde 2005. No disco tem de tudo: riffs, blues, gaita, Keith nos vocais, baladas. E tem lançamento póstumo, ex-integrante, Elton John, ex-Beatle, Steve Wonder, Lady Gaga.

O álbum começou a ser gravado em 2019, mas a pandemia e alguns problemas com o produtor Don Was, fez com que ele ficasse pronto só neste ano. E damos crédito ao produtor que assumiu a bronca, com êxito: o jovem Andrew Watt, que conquistou a banda e até assina algumas faixas.

O primeiro single é o que abre o disco: Angry, de todas, é a faixa que mais se parece com os clássicos que colocaram os Stones em alto patamar. Já Get Close é uma quase balada clássica, e Bite My Head Off é um som agressivo, com a participação do baixo distorcido de Paul McCartney. Só essas três já valem o disco.

Whole Wide World é a música que faz a banda viajar de volta para os anos 80 no sentido sonoro. Dreamy Skies é um folk que facilmente entraria no Exile on Main Street e Mess It Up tem como característica a bateria do Charlie Watts, o que torna a faixa muito especial.

As faixas seguintes são Live by the sword, que conta com as participações de Elton John no piano e de Bill Wyman no baixo. Já Driving mo too hard é um som bem anos 90, que lembra as faixas de Voodoo lounge.

E a cereja do bolo fica por conta de Tell Me Straight, com Keith nos vocais, a belíssima gospel song de mais de sete minutos Sweet Sounds Of Heaven, que tem novamente Elton John no piano e Lady Gaga no backing entregando tudo! Quem ainda não escutou, que o faça. E carimbe sua passagem de volta aos anos 70.

Pra fechar o disco, de forma simbólica, faltava um blues: Por que não fazer um cover? E por que não fazer um cover do Muddy Waters, o responsável por Mick Jagger e Keith Richards ficarem amigos? E por que não ser uma música que deu o nome da banda e que NUNCA foi regravada por eles até então?

E aí a mágica acontece, com uma pitada de melancolia. O álbum acaba assim como tudo começou: em um blues de Muddy Waters.

Hackney Diamonds foi bem recebido pela crítica e aclamado pelos fãs. De fato, o disco é bom, mas ainda não pode ser colocado lado a lado com os álbuns clássicos. Na real ele soa mais com uma viagem no tempo, alcançando um pouco de cada fase dos Stones.

Mesmo assim, tiramos o chapéu pros caras que estão em pleno vigor mesmo depois de 60 anos. E quem gosta de Rock carece de bons discos atuais. Rockeiro hoje em dia precisa se contentar com lançamento meia boca de bandas lendárias e com certeza, com Hackney Diamonds a história é diferente.

Resenha Publicada em 20/11/2023





Esta resenha foi lida 1523 vezes.




Busca por Artistas

A B C D E F G H I J K L M N O P Q R S T U V W X Y Z



Outras Resenhas do Artista

CDs


DVDs


Livros


Outras Resenhas