Resenha do Cd Novo Tentamento / Escambau

NOVO TENTAMENTO  title=

NOVO TENTAMENTO
ESCAMBAU
2014

INDEPENDENTE
Por Anderson Nascimento

Desde os tempos mais remotos que a humanidade vem alertando para o fim do mundo. Algumas datas ficaram marcadas para a geração mais nova, como o ano 2000, ou, mais recentemente, o ano de 2012. Para nossa sorte as previsões estavam erradas. Eis que em pleno ano de 2014 surge um “Novo Tentamento”, capaz de jogar luz às inquietudes e vicissitudes do ser humano.

Trata-se do quarto álbum da banda paranaense “Escambau”, surgida em 2009, liderada pelo ex-Faichecleres Giovanni Caruso (voz, guitarra, baixo e piano) e completada por Maria Paraguaya (voz, percussão e acordeão), Yan Lemos (voz e violão), Zo (voz e guitarras) e Ivan Rodrigues (bateria).

O grupo vem surpreendendo público e crítica pela riqueza musical e ideológica apresentada em seu novo disco. De fato, a banda consegue romper as fronteiras do disco e cria uma espécie de “livro dos nossos dias”, dentro de um canônico realinhamento de nossa realidade.

Com canções dispostas no invólucro como se fossem versos bíblicos, o disco apresenta momentos que variam da singela introdução ao piano de “Entranhas (ou introdução ao novo tentamento”, até momentos explicitamente anárquicos como na faixa “Apocalipse Segundo Um Deus Bêbado”.

Após a introdução, o disco inicia com a forte pegada melancólica e reflexiva de “Observo Mutantes”, que musicalmente lembra (outros) Mutantes. A segurança demonstrada pela banda é tamanha, que mesmo em momentos mais pops como no ótimo single “Cidade dos Normais”, há uma conexão evidente com a ideia geral do trabalho.

Essa conexão é o que faz deste disco uma pequena obra-prima, mesmo sendo tão difícil tornar acessível um álbum de forte apelo conceitual. Essa liga é o que conecta, por exemplo, a debochada balada de salão (quase) latina de “Atos de Uma Anti-Hepática”, com o libelo da já citada “Apocalipse Segundo Um Deus Bêbado”, uma espécie de apocalipse apócrifo, onde o próprio Deus em pessoa (ou espírito) não foi capaz de intervir.

Depois disso, o niilismo prossegue com “Epístola de um Homem a si Próprio”, que parece encerrar um ciclo no álbum. A seguir a boa faixa experimental “Acho que Tu Faz Amor Com Esse Computador”, parece despertar a sonoridade do álbum para uma sonoridade ainda mais ácida e alternativa.

Quando se pensa que o disco não pode ficar mais viajante, entra a sequência com “Parábola dos Errantes”, a psicodélica de “Novas Cabeças Rolando” e o ápice quase cafona, que inclui até elementos nordestinos, “Meus Melhores Amigos Jamais Me Deixam Só”.

A vinheta “Comunhão dos Infiés” abre caminho para o encerramento do álbum com a balada “Conspiração”, que seja na Terra ou no Céu, acena com uma mensagem esperançosa depois de toda a viagem trincada que o disco parece retratar.

Produzido por Sanjai Cardoso e Giovanni Caruso, podemos classificar esse trabalho como corajoso e competente. Tal empreitada é um marco na carreira da banda, e apresenta a força criativa do grupo que, certamente, lançou um dos trabalhos mais interessantes de todo o ano de 2014.

Fora isso tudo, o disco prova que o conceito “álbum” não precisa se escorar em rótulos, ou ainda que álbuns conceituais podem soar como estórias, sem fazer como que o ouvinte fique entediado demais para querer saber o final. Enfim, “Novo Tentamento” é um grande álbum, de uma grande banda que, sem dúvida, surpreendeu.

Resenha Publicada em 13/11/2014





Esta resenha foi lida 1171 vezes.

Escambau - Cidade dos Normais from Katia Aguiar on Vimeo.




Busca por Artistas

A B C D E F G H I J K L M N O P Q R S T U V W X Y Z





Outras Resenhas do Artista


Outras Resenhas