Resenha do Cd Percipere / Outs, The

PERCIPERE title=

PERCIPERE
OUTS, THE
2016

DECKDISC
Por Anderson Nascimento

Antes mesmo de lançarem o seu primeiro álbum cheio de estúdio, já havia muita curiosidade e expectativa a respeito do mesmo. The Outs é uma banda carioca que se destacou inicialmente como banda cover do Oasis, e posteriormente por terem lançado dois EPs, entre eles o ótimo “Spiral Dreams” de 2014.

Inicialmente o grupo gravou apenas canções em língua inglesa, mas no início deste ano a banda disponibilizou o single “Ainda Me Lembro” em português e, mesmo com a mudança, a faixa foi muito bem recebida, ultrapassando as 85 mil reproduções na plataforma Spotify. A canção é também responsável por abrir o novo disco do grupo “Percipere”, que também é primeiro álbum cheio deles.

Com uma proposta assumidamente psicodélica, parte do que se ouve no disco é um Rock que orbita o som feito entre 1965 e 1968, principalmente pelos Beatles. A já citada faixa de abertura “Ainda Me Lembro” bebe da fonte Beatles ’66, com som ainda pré-psicodélico, muito embora pode ser percebido também algo de The Byrds.

Com belos arranjos tanto instrumentais quanto vocais, letras minimalistas, e muita autoridade no naquilo que a banda está entregando, o grupo vai bem ao longo do disco, com saltos de criatividade incríveis em canções como a belíssima “Doce Amargo”, que apresenta texturas mais heterogêneas.

Há também no som da banda nuances que remetem ao característico Rock Progressivo nacional dos anos 70, como podemos perceber em “Palavras Cruzadas”, ainda que a mesma tenha alguns de seus versos cantados em inglês.

Outro grande momento é “O Tempo Fala”, uma das melhores canções do novo trabalho, e é justamente quando o grupo explora e amplia as possibilidades que o Rock Psico-Progressivo oferece, é que eles se saem melhor e produzem as melhores canções do seu álbum.

O grupo se notabiliza por criar uma atmosfera confortável em torno de sua proposta, com mostras de seu talento em boa parte do álbum. Dentro desse imperativo contexto destacam-se também canções como “No Meu Luar” e “Quero Voar”. O disco encerra com a faixa “Os Monstros Também Nadam no Litoral Afogando o Esclarecer (Da Sua Mente), música que chega aos seis minutos de duração, e traz uma pegada um pouco mais roqueira.

Em se tratando de um subgênero musical atualmente pouco explorado no Brasil, a banda The Outs impressiona por ter consciência exata do som que estão fazendo, executando-o muito bem, com autoridade e até maturidade, mesmo em se tratando do seu primeiro disco. A decisão de gravar em português também foi acertada, principalmente porque desta forma eles podem seguramente ocupar um espaço carente no Brasil, que sofreu recentemente a perda do grande Júpiter Maçã. Belo trabalho.

Resenha Publicada em 25/07/2016





Esta resenha foi lida 662 vezes.




Busca por Artistas

A B C D E F G H I J K L M N O P Q R S T U V W X Y Z





Outras Resenhas do Artista

CDs


Outras Resenhas