Resenha do Cd Whats The Story Morning Glory (remaster) / Oasis

WHATS THE STORY MORNING GLORY (REMASTER) title=

WHATS THE STORY MORNING GLORY (REMASTER)
OASIS
2014

SONY MUSIC
Por Valdir Junior

“O tempo passa e o homem não percebe”, essa frase do escritor e poeta italiano Dante Alighieri, pode resumir bem a sensação daqueles que presenciaram o lançamento de “Whats The Story Morning Glory” segundo álbum do Oasis em 1995 e hoje espantados olham em retrospecto, e percebem o quanto o mundo mudou, para o bem e para o mal.

Com o lançamento agora de uma edição especial e remasterizada do álbum com mais dois CDs cheios de lados B, faixas ao vivo e outras raridades, eles mostram que o álbum foi uma verdadeira trilha sonora de uma época e talvez o último grande disco de Rock lançado dentro dos padrões conhecidos até então.

Em 1995 o Oasis era uma das novas bandas inglesas que mais agitavam o mundo do Rock. O sucesso de seu primeiro álbum “Definitely Maybe” de 1994, mostrou uma banda totalmente antenada com o som e as referencias daquele momento, e que também tinham feito muito bem a sua “lição de casa”, com sua música seguindo a cartilha de bandas dos anos 60 e 70 como Beatles, Stones, Kinks, Small Faces, T. Rex, David Bowie etc...

Falar da influência dos Beatles no Oasis, hoje em dia chega até há ser chato, mas na época tanto o público como os críticos musicais espalhados pelo mundo enxergavam isso com um misto de curiosidade e excentricidade da banda, no final isso acabava se tornando um jogo para ver até onde chegava essa devoção, e pra dizer a verdade, o Oasis nunca fez feio nesse quesito.

Shows sempre lotados, uma legião de fãs sendo aos poucos arregimentada e uma arrogância típica vindas dos irmãos Gallagher em suas entrevistas, além de boa música, faziam do Oasis uma grande promessa para o futuro.

Quando foi lançado em Outubro de 95 “Whats The Story Morning Glory” colocou o Oasis num patamar quase comparável (como não podia deixar de ser) com o dos Beatles no começo dos anos 60. O álbum vinha sendo aguardado com grande expectativa, e mesmo que num primeiro momento a crítica tenha malhado o disco, com o passar das semanas e suas milhões de cópias vendidas, e o reconhecimento da música de alta qualidade ali presente, fizeram dele um enorme sucesso e um marco dentro do que seria chamado logo em seguida como “Britpop”.

Foi na época do lançamento do CD que o mundo acompanhou através dos jornais e tablóides de música, a briga e troca de farpas do Oasis com o Blur, outra grande banda inglesa que se destacava pelos mesmos méritos da banda dor irmãos Gallagher, revivendo uma rixa comparável aquela que havia entre os fãs dos Beatles e dos Rolling Stones no meio dos anos 60, uma jogada de marketing esperta que chamou ainda mais atenção para as bandas.

“What’s The Story Morning Glory” é quase um “greatest hits” do Oasis, cada canção traz aquilo que faz uma música não sair de nossas cabeças: melodia contagiante, harmonia muito bem estruturada, arranjos inteligentes e aquele “algo a mais” que faz toda a diferença e só poucos conseguem fazê-lo. Só para citar algumas: "Some Might Say", a agora clássica balada “Wonderwall”, "Don't Look Back in Anger", com sua introdução ao piano que remete diretamente a “Imagine” de John Lennon, e a épica "Champagne Supernova" todas verdadeiros hinos do “Britpop”.

Por traz dessas pérolas, encontramos o arquiteto, maestro e compositor disso tudo, o guitarrista Noel Gallagher, que num ato de autoconfiança ou mesmo arrogância, mostrou o quanto era capaz, deixando como lado B dos singles, faixas que tinham tudo para serem faixas principais num CD completo, músicas como "The Masterplan", "Talk Tonight" e "Step Out", que muita banda até hoje daria uma rim para conseguir compor algo igual.

Essa nova edição especial de “What’s The Story Morning Glory” traz no CD número dois, todos os lados B lançados pelo Oasis na época, parte das músicas já haviam aparecido no CD “The Masterplan” uma compilação de Lados Bs de 1998, mas aqui encontramos mais algumas pérolas como as covers de "Cum On Feel the Noize" do Slade, e “You've Got to Hide Your Love Away" dos Beatles e a raríssima faixa "Bonehead's Bank Holiday” presente só na versão original em vinil da época.

O CD número três traz faixas do álbum em versões ao vivo e as demos de: "Some Might Say", "She's Electric", "Rockin' Chair", "Hey Now" e "Bonehead's Bank Holiday". Como destaque das faixas ao vivo temos: "Round Are Way" do MTV Unplugged do Oasis (nunca laçado oficialmente) e "The Masterplan" em Knebworth em 1996, e "Acquiesce" em Earls Court em Novembro de 1995.

Nos anos que se seguiram ao lançamento de “What’s The Story Morning Glory”, o Oasis gravou outros bons álbuns e outros não tão bons, alguns integrantes foram desistindo no decorrer do tempo, brigas e mais brigas entre os Gallaghers e então o inevitável fim, Noel e Liam seguiram em frente em novos trabalhos, mas foi com esse álbum que a banda definitivamente marcou o seu nome na história do Rock e da música Pop. Apesar de terem se passado vinte anos desde o seu lançamento, o álbum continua atual, cheio de energia, melodias, sons de guitarra e sonhos que nos acompanham pela vida toda, portanto escute essa edição especial no último volume, como se não houvesse mais o amanhã.

Resenha Publicada em 02/03/2015





Esta resenha foi lida 1385 vezes.




Busca por Artistas

A B C D E F G H I J K L M N O P Q R S T U V W X Y Z





Outras Resenhas do Artista

CDs


Outras Resenhas