Resenha do Cd Decision Day / Sodom

DECISION DAY title=

DECISION DAY
SODOM
2016

SPV
Por Johnny Paul Soares

Se você não conhece Sodom e resolver ouvir alguma coisa deles e, por acaso pegar este disco, não será uma má escolha para começar a curtir o trabalho dessa banda alemã. As características Trash do velho Sodom de alguma forma se perderam um pouco no ar, mas Decision Day é um álbum digno de respeito e de frente que merece estar entre os melhores de 2016 (vamos aguardar).

O vocalista Tom Angelripper (líder, vocalista e baixista desde 1984) enxerga Decision Day com as seguintes palavras: “os vocais neste álbum me lembram, ocasionalmente, a nossa fase Persecution Mania, mas as músicas são muito mais profundas, musicalmente, bem como em termos de suas letras”. É verdade. As letras desse novo trabalho seguem a linha da crítica, da política e da guerra (marca registrada do Sodom). A capa, um tranalho de Joe Petagno, anda lado a lado com a temática, já que carrega uma crítica ácida com as bandeiras dos EUA e da Rússia junto à uma máquina destruidora, em uma clara proposta de mostrar a atual situação vivida no mundo e a rivalidade entre nações. As letras seguem a mesma linha de raciocínio, falando também do dia D e a Segunda Guerra Mundial.

Tom Angelripper, Bernd “Bernemann” Kost (guitarra) e Markus “Makka” Freiwald (bateria) apresentam-nos composições rápidas entre momentos cadenciados de qualidade inquestionável como a faixa de abertura In Retribution, Rolling Thunder, Decision Day (com seu marcante refrão), Vaginal Born Evil e Strange Lost World, apenas para citar algumas. Carregado de tensão, reflexão e um cenário típico de combate, coisa que vem acontecendo desde In War and Pieces (2010), apesar dessa ser a marca do Sodom desde há muito, eles conseguiram fazer um disco de faixas distintas umas das outras, o que ajuda a audição do ouvinte.

Como dito anteriormente, Decision Day contém as características básicas do Trash que vem sendo praticado desde In War and Pieces, o que não significa que seja igual. A precisão de Sacred Warpath não se compara à brutalidade de Stimatized (Epitome of Torture, 2013).

Lançado em agosto de 2016, Decision Day é agradável para qualquer apaixonado por um bom Trash Metal praticado com gosto. Foi produzido por Cornelius Rambadt e saiu pela SPV/Steamhammer, contendo no total 55 minutos e 31 segundos, com 12 faixas de riffs inesgotáveis.

Ligue o som e vamos de Sodom!

Resenha Publicada em 19/10/2016





Esta resenha foi lida 738 vezes.




Busca por Artistas

A B C D E F G H I J K L M N O P Q R S T U V W X Y Z





Outras Resenhas do Artista


Outras Resenhas