Resenha do Cd Night People / You Me At Six

NIGHT PEOPLE title=

NIGHT PEOPLE
YOU ME AT SIX
2017

IMPORTADO
Por Johnny Paul Soares

2017 começa e parece que com os novos ares o You Me At Six (irei chamar a banda ao longo da resenha de YMAS) resolveu colocar alguns blocos de concreto em cima de seu som. O quinto trabalho de estúdio, Night People, foi gravado em 2016 e lançado nesse último 6 de janeiro através da Infectious Music. Apesar de ter liderado o topo das paradas por certo tempo, o razoável mas ainda refrescante Cavalier Youth (2014) parece ter ficado para trás e, quem sabe, ter protagonizado o fim de uma fase. Night People é um disco digno de boas palavras, mas ainda o começo do que pode ser um novo YMAS pesando um pouco o seu som... Sim, um pouco, mas a fórmula de composição é quase a mesma coisa: Rock Alternativo com tempero Pop.

Josh Franceschi (vocais), Max Helyer (guitarra base, vocais de apoio), Chris Miller (guitarra solo), Matt Barnes (baixo) e Dan Flint (bateria) não possuem um nome tão forte nos Estados Unidos, mas o seu país de origem (Inglaterra) os conhece bem.

Em 2016, os singles de Night People já giravam desde agosto, como é o caso da faixa-título, Plus One em outubro, Give e Swear ambas de novembro e a ótima Heavy Soul em dezembro. Apesar da simplicidade das letras de Josh Franceschi, as músicas parecem que foram feitas para ouvir enquanto estamos com as mãos nos volantes, o que pode ser relativo, pois em alguns casos, como Take On The World, em um sábado à noite depressivo, os tênis e os cadarços devem ficar longe do ouvinte para não acontecer uma possível besteira.

Ainda que haja a simplicidade das letras citada acima, os instrumentais não deixam a desejar e são muito bem executados, mas nada que dificulte na hora de subir no palco.

Fico pensando na natureza do crescimento e evolução humana, e lembro de quando o YMAS começou com o seu debut de estreia em 2008 (a banda foi formada em 2004 quando ainda contava com o baterista Joe Phillips, que saiu em 2006 para dar lugar a Dan Flint). A música do grupo era a onda do Emocore, Emopop e Pop Punk que teve uma assombrosa popularidade naquele período e depois sumiu com a mesma velocidade que apareceu, e agora seus integrantes na casa dos 26 anos de idade investem em uma sonoridade mais pesada e abrindo as portas de uma nova fase, mesmo mantendo ainda alguns dos elementos, mesmo que poucos, de 9 anos atrás.

A gravação de Night People ocorreu no Black Bird Studios em Nashville, Tennessee, EUA, acompanhados do produtor Jacquire King (Kings of Leon, Tom Waits e Norah Jones), incluindo Andrew Scheps mixando os registros e Eric Boulanger na masterização.
O disco já alcançou primeiro lugar na Nova Zelândia e na terra natal do YMAS conseguiu a 3º posição, assim como na Escócia.

Resenha Publicada em 18/01/2017





Esta resenha foi lida 488 vezes.




Busca por Artistas

A B C D E F G H I J K L M N O P Q R S T U V W X Y Z





LOJALOUCOSPORMUSICA - camisetas, miniaturas, chaveiros

Acesse: https://www.loucospormusica.com/

Outras Resenhas do Artista


Outras Resenhas