Resenha do Cd Frampton Comes Alive! / Peter Frampton

FRAMPTON COMES ALIVE! title=

FRAMPTON COMES ALIVE!
PETER FRAMPTON
1976

UNIVERSAL MUSIC
Por Guilherme M

Olhando para traz, Peter Frampton tem uma carreira vitoriosa cheia de discos e clássicos. Começando ainda na década de 70 ele chegou ao sucesso comercial depois de um disco muito bom, um álbum ao vivo de 76 chamado Frampton Comes Alive, disco que não demorou para chegar ao topo, conquistou 6 vezes a platina e foi o álbum ao vivo mais vendido da história. Frampton sempre foi um guitarrista que gosto muito, um guitarrista conhecido como o cara que foi pioneiro da guitarra falada, e assim posso defini-lo em cinco palavras, um gigante da seis cordas.

Antes de entrar em carreira solo fez trabalhos com o injustiçado e ótimo Humble Pie e a banda The Herd, e é inevitável falar que Frampton Comes Alive caiu como uma luva, foi gravado nos Estados Unidos e é um disco completo. Riffs ótimos, solos, baladas, toques de pianos e tudo mais, ou seja, um verdadeiro show que o músico proporcionou para o mundo.

O primeiro lado tem músicas empolgantes, dentre delas o clássico Show Me the Way que mostra a inovação de sua guitarra que acaba cantando junto com ele. Já o segundo é bem mais balada, a mais famosa Baby, I Love Your Way dá as caras e guarda muitas lembranças das mãezonas atualmente. O terceiro segue a mesma risca dos primeiros, e pode se dizer que é uma mistura dos dois, começa com uma intro de violão de Penny for Your Thoughts muito boa e depois com a pesada Ill Give You) Money. Shine On um clássico que vinha se destacando do Humble Pie aparece, e depois um cover de Jumping Jack Flash do Stones que para mim não caiu bem. Para finalizar o álbum termina com Lines on My Face e o clássico Do You Feel Like We Do, e sem esquecer que o vocalista se saiu bem nos vocais, mas não é aquele que impressiona.

O som de Frampton é bem diversificado, desde Blues, Rockabilly a um som mais pesado, quem gosta de alguma coisa mais Light e calma em relação ao Hard Rock e ao Rock o cara é uma ótima pedida. Posso dizer que ele se assemelha mais ao estilo de Eric Clapton em relação a suas músicas, acho que mais agitado do que Clapton, bom, é só vocês tirarem suas dúvidas.

E voltando ao assunto do álbum, o mesmo deu ao guitarrista um sucesso inesperado, abriu as portas do cara para o mundo do Rock, e como gostei de Frampton Comes Alive eu comecei a ouvir seus discos anteriores que também são bons, e não são só esses, alguns de seus futuros álbuns também são bons, músicas como a balada Im In You e a legal Breaking All The Rules fazem a cabeça do povo nos anos 70 e 80. Inclusive o artista fez Frampton Cames Alive II que virou uma espécie de coletânea de seus shows, o disco tem seus maiores clássicos, além de algumas feitas especialmente para o álbum.

Enfim, Frampton Comes Alive é um discasso, e não podia de lembrar que vários anos depois a gravadora e o músico lançaram uma versão deluxe bem legal, e essa versão inclui músicas deixadas de fora do lançamento original.

------
Publicado originalmente no Blog Destroyer

Resenha Publicada em 03/02/2011





Esta resenha foi lida 1362 vezes.




Busca por Artistas

A B C D E F G H I J K L M N O P Q R S T U V W X Y Z





Outras Resenhas do Artista

CDs


Outras Resenhas