Resenha do Cd Acústico Mtv / Rappa, O

ACÚSTICO MTV title=

ACÚSTICO MTV
RAPPA, O
2005


Por Bruno Gusmao

"O show tá começando", e assim começa mais um trabalho da banda carioca O Rappa. Finalmente lançado, o esperado cd " Acústico MTV – O Rappa " ( R$ 25,00 em média ) é claramente a chance que a banda precisava para "fãs" de "Minha Alma" e "O Que sobrou do céu" conhecerem o que O Rappa tem de melhor.

Um acústico meio eletrônico, como sugere a própria banda. Este é sem dúvida um dos acústicos mais esperados da série. A Banda que tem suas origens enraizadas por partes dó Rio de Janeiro surpreende pelos arranjos e mais ainda pelos instrumentos apresentados neste trabalho. Nomes do tipo " Steel Drums", Campainha Power" dentre outros são apresentados ao público em um acústico ótimo de se ouvir e melhor ainda de se vê ( DVD nas lojas por R$ 45,00 em média ).

A idéia do acústico já figura a algum tempo pela Internet e em rodas de fãs, mas foi o produtor Tom Capone (que Deus o tenha em bom lugar ) que conseguiu aplicar a idéia fixa na mente da banda. A máxima de um acústico é até seguida no começo por Falcão que toca e canta a primeira música sentado, e só a primeira.

A idéia de uma estação de trem para cenário foi sem dúvida magnífica. A dimensão do palco é totalmente aproveitada por um Falcão completamente em êxtase, no final de "Mar de gente", o vocalista chega a falar palavras com sentido até agora só reconhecidos pelo mesmo.

A ausência de "Minha Alma" não atrapalha em nada o cd. Muito pelo contrário, a falta desta música abre espaço para as magníficas, mas pouco exploradas e conhecidas por alguns "Brixton, Bronx ou Baixada" e "Eu quero ver gol".

O clima do acústico tem algo meio que religioso no ar. O acréscimos de instrumentos de percussão diferentes, 2 baterias e as cordas acústicas dão um tom de Índia, Japão e é claro África. Em "Brixton, Bronx ou Baixada" por exemplo, no momento "...E os toques da macumba também...", entra claramente um verdadeiro toque de Umbanda na percussão.

O Dj Negralha utiliza mais uma invenção da banda: O Gramodisco, um gramofone usado em que foi adaptado um toque discos MK2 e faz um som acústico nos scratchs e efeitos de cuíca e outros.

O grande momento do acústico fica por conta da aparição de "Maria Rita" em "Rodo Cotidiano".. A cantora dá um show e deixa claro que é realmente uma fã da banda: Canta claramente emocionada ( quem tiver a oportunidade de assistir ao DVD, que tem também "O que sobrou do Céu", com Maria Rita, vai poder ver a cantora chorando e vibrando após sua participação )..

O Outro convidado é o Mestre Siba da Rabeca, músico do Mundo Livre S/A, o Mestre dá um show com o seu Violino Brasileiro.

A outra música inédita (Além de "Na frente do Reto", que abre o CD) é " Não perca as crianças de vista". A música tem uns sons eletrônicos muito bons e até agora inéditos em acústicos da emissora feitos com o tal Steel Drums. A Letra também é fabulosa: "Pra enxergar o infinito debaixo dos meus pés não basta olhar de cima" – bem Falcão...bem O Rappa.

Ao meu um dos grandes momentos do disco é " Pescador de Ilusões" que ganhou um clima totalmente Indiano...chega a flertar com um mantra. O Outro grande momento é a penúltima música do álbum, "Papo de surdo e mudo", para mim uma das melhores da banda.

Encerrando temos "Eu quero ver gol", música do cd Rappa Mundi, que muitos pensam ser o primeiro da banda.

Enfim, um acústico fabuloso, e seríssimo candidato a disco do ano.

Resenha Publicada em 01/01/2005





Esta resenha foi lida 1311 vezes.




Busca por Artistas

A B C D E F G H I J K L M N O P Q R S T U V W X Y Z





Outras Resenhas do Artista

CDs


Outras Resenhas