Resenha do Cd Sempre Um Sucesso / Moreira Da Silva

SEMPRE UM SUCESSO title=

SEMPRE UM SUCESSO
MOREIRA DA SILVA
2015

DISCOBERTAS
Por Anderson Nascimento

Dando mais um passo em busca do resgate da obra do Kid Morengueira Moreira da Silva, o Selo Discobertas coloca no mercado mais um box trazendo três álbuns originais e um de raridades.

“Moreira da Silva Sempre Um Sucesso (1967 - 1979)”, cobre a fase semi-independente do artista ocorrida na segunda metade dos anos 60, em que os seus discos saíram pelas gravadoras Cantagalo e Tropicana, e nos 70, quando o artista participou de vários lançamentos como convidado ou gravando faixas avulsas.

“O Sucesso Continua” (1968), traz algumas canções antigas, além de gravações que caracterizam a obra do artista com causos engraçados como o da canção “Na Subida do Morro” (Moreira da Silva, Ribeiro da Cunha), que abre o CD. Curiosamente o disco alinha também as canções “Amigo Urso” (Henrique Gonzales) e “A Resposta do Amigo Urso” (Moreira da Silva, Maria Nazaré Maia), em sequência. Destacam-se também as baladas “Te Amo, Querida” (Moreira da Silva, Mões Filho) e “O Velho Não Bobeia” (Mario Rossi, Aldo Taranto), a cinematográfica “O Rei do Gatilho”, e a hilária “Dai um Jeito Nesse Mundo” (Antonio Almeida, Alcebíades Barcelos).

“Manchete do Dia” (1969) dá sequência as gravações do artista na gravadora Cantagalo, entre os destaques estão “O Urubu Está Voando Baixo” (Moreira da Silva, João Correia), que abre o disco, mas está grafada como “Manchete do Dia” na contracapa da reedição, “Telefonista” (Moreira da Silva), “Viagem Espacial” (Moreira da Silva, Nelson Barros) e “Homenagem à Paulistinha” (Moreira da Silva, Graça Batista).

Lançado pelo Selo Tropicana, “70 Anos de Samba” (1972) comemora os 70 anos do artista com canções como “Moreira Enfrenta Verdugo”, que brincava com um personagem de luta livre da TV, “Valente Pedra-Mar” (Jorge Paiva), e as ótimas “A Nega da Gafieira” (Moreira da Silva, João Correa de Faria) e “Lei do Céu” (Moreira da Silva, Tito Mendes), a seleção do repertório é um dos grandes destaques do álbum.

“Raridades” fecha o box coletando 17 fonogramas extraídos de LPs carnavalescos entre 1967 e 1972, entre outros LPs temáticos, compactos, e discos de artistas como Chico Buarque, Originais do Samba e Cyro Aguiar. Há de se ressaltar o brilhante trabalho de pesquisa e autoração do pesquisador Marcelo Fróes para a elaboração do rico e valioso repertório dessa coletânea.

Os boxes anteriores resgatam as gravações de 78 rpm dos anos 50, no box lançado em 2013; dos LPs de 1958 à 1961, no box “O Último Malandro”, lançado em 2011; dos LPs de 1962 à 1966, no box “O Tal Malandro”, lançado em 2012; além do disco avulso “Cheguei e Vou Dar Trabalho” (1986) lançado pela gravadora em 2012. Assim como nestas outras edições, esse box também resgata as imagens originais das capas e contracapas, além dos selos e todas as informações disponíveis da ficha técnica.

Resenha Publicada em 28/12/2015





Esta resenha foi lida 1051 vezes.




Busca por Artistas

A B C D E F G H I J K L M N O P Q R S T U V W X Y Z





Outras Resenhas do Artista

CDs


Outras Resenhas