Resenha do Cd Rain Dogs / Tom Waits

RAIN DOGS title=

RAIN DOGS
TOM WAITS
1985

IMPORTADO
Por Fabio Cavalcanti

O cantor norte-americano Tom Waits é o tipo de cara de quem todo mundo já ouviu falar em algum momento, apesar de suas canções nunca estarem presentes em nenhum tipo de programação musical (seja em rádios, 'playlists' de festas e reuniões de amigos em geral, coletâneas de grandes artistas, etc.). Tal realidade gera um pensamento do tipo "nunca ouvi, mas já o respeito pelo que falam da sua música", o que não é nada saudável para qualquer pessoa. Sendo assim, a melhor introdução para os novatos é o clássico álbum "Rain Dogs", de 1985.

Ao contrário do que acontece em nossas análises de pérolas musicais que podemos chamar de "trabalhos que estiveram à frente do seu tempo", os álbuns do Tom Waits trazem um sentimento dúbio nesse quesito, devido à aura retrô que permeia suas canções, sempre com influências de jazz, folk, e alguma coisa de rock 'n' roll com cheiro de naftalina. E como a cereja no topo do bolo, ainda temos a atitude boêmia e voz de "bufão encachaçado" que ficarão impregnadas em sua cabeça pelo resto da sua vida!

Como deu para perceber, originalidade é o ponto forte de Tom Waits, o que pode ser confirmado na essência circense de "Singapore", na percussão bizarra de "Clap Hands", no clima latino e sombrio de "Jockey Full Of Bourbon", e no aspecto ironicamente brega da balada "Hang Down Your Head". E isso apenas para ficar em pequenos detalhes chamativos de uma obra recheada de camadas e variações musicais...

Mas, se querem mais destaques desse apanhado extenso até demais (19 faixas no total), aqui vão mais alguns: o singelo folk "Time", o blues rock experimental "Rain Dogs", e o quase pop/rock fino "Downtown Train". Até mesmo os rockões "Big Black Mariah" e "Union Square" soam bastante alternativos, como prova de que o nosso estilo favorito poderia ser ainda mais amplo se existissem mais 'Toms" no mundo...

"Mas Fábio, com tantas misturas doidas, cadê o rock propriamente dito na música desse cara?", você me pergunta. Respondo que a atitude rocker de Tom Waits se encontra no seu desejo de fazer uma música chocante e desafiadora, sempre com letras que trazem histórias de pessoas atormentadas do submundo, e instrumentais variados que nos levam para uma espécie de cabaré bizarro, onde encontramos indivíduos com problemas reais e músicas de um poeta bêbado no ar... Mais rock 'n' roll, impossível!

Como o próprio Tom Waits canta na conclusiva "Anywhere I Lay My Head": "Minha cabeça gira sem parar, tenho meu coração dentro dos sapatos, e eu digo que em qualquer lugar em que repouse minha cabeça, eu estarei, enfim, em casa.". No álbum "Rain Dogs", esse é o sentimento geral que nos passa pela cabeça, enquanto relaxamos e observamos mentalmente cada quatro transmitido de forma vívida por suas loucas músicas. Escute-o com atenção e prepare-se para um sentimento "What the fuck?" mais do que agradável...

---
Publicado também no blog do autor Rock em Análise.

Resenha Publicada em 07/11/2014





Esta resenha foi lida 841 vezes.




Busca por Artistas

A B C D E F G H I J K L M N O P Q R S T U V W X Y Z





Outras Resenhas do Artista

CDs


Outras Resenhas