Resenha do Cd The John Lennon Signature Box / John Lennon

THE JOHN LENNON SIGNATURE BOX title=

THE JOHN LENNON SIGNATURE BOX
JOHN LENNON
2010

EMI MUSIC
Por Valdir Junior

Desde o lançamento em 1998 da caixa “John Lennon Anthology” os fãs do Beatle tiveram pouquíssimas chances de escutar “oficialmente” material novo e raro deixado nos arquivos. No início dos anos 2000 começaram a serem lançados os principais álbuns de Lennon remasterizados e remixados, e como atrativo algumas faixas bônus para convencer os fãs a comprar novamente um disco que no mínimo já tinha comprado duas vezes.

Esses lançamentos foram criticados por alguns, pois consideraram “blasfêmia” remixar um som que havia sido aprovado pelo próprio John Lennon, além de que, alguns álbuns tiveram sua arte mudada (“Walls and Bridges”) ou parte do track list suprimida (Some Time In New York City). De qualquer forma o lançamento ia em direção a uma característica do mercado fonográfico na época em relação a reedições de álbuns clássicos.

Na comemoração dos setenta anos de nascimento de Lennon, Yoko Ono produziu essa nova caixa “The John Lennon Signature Box”, composta pelos oito principais álbuns da discografia de Lennon e como “bônus” um CD duplo com faixas lançadas em compactos e não presentes nos álbuns oficiais, outtakes e gravações caseiras inéditas. Agora os álbuns de Lennon voltavam remasterizados em suas mixagens e artes originais, sem bônus tracks.

Como se tornou costume nos últimos tempos, esses “super deluxes Box” vêm acompanhados de um monte de atrativos não musicais como livros, fotos, DVD’s, e para não deixar de ser, trazer algum material inédito para dar uma validade ao projeto. No caso do box de Lennon chegamos a constatação de que pagamos um preço muito, mais muito alto, para comprar novamente os mesmo discos (mesmo que com um som melhor) e encontrar uma quantidade pífia de “raridades”, um livro de fotos e textos.

A saber, presentes na caixa estão os álbuns: “John Lennon/Plastic Ono Band” (1970); “Imagine” (1971); “Some Time in New York City” (1972); “Mind Games” (1973); “Walls and Bridges” (1974); “Rock ‘n’ Roll” (1975); “Double Fantasy” (1980); “Milk and Honey” (1984) e o disco bônus “Singles & Home Tapes (Studio Outtakes & Home Recordings)”. O atrativo para os colecionadores e completistas é justamente esse ultimo CD.

O primeiro CD “Singles & Home Tapes” é na verdade um EP com seis faixas lançadas por Lennon em compactos e que de um jeito ou outro só foram encontradas em coletâneas nessas ultimas três décadas, sendo que apenas uma delas a faixa "Move Over Ms. L" (lado B do compacto “Stand By Me” de 1975) é a mais difícil de se encontrar em CD. Anteriormente ela só foi lançada em CD como bônus na coletânea “The John Lennon Collection” em 1989, de lá para cá se tornou uma faixa rara.

O segundo CD “Studio Outtakes & Home Recordings” traz treze faixas gravadas no período dos dois primeiros álbuns solos de Lennon (John Lennon/Plastic Ono Band e Imagine) e os dois últimos (Double Fantasy e Milk & Honey). Sendo que apenas "One of the Boys" e "India, India" gravadas em cassete no Dakota e “Honey Dont” que foi extraída de jam session de rock and roll gravada durante as gravações de John Lennon/Plastic Ono Band são faixas que mais se destacam no CD.

Pra quem conhece a série em bootleg “The Lost Lennon tapes”, sabe que existe um bom material a ser explorado oficialmente (uma parte desse material foi a base do box “Anthology” de Lennon), que com um bom tratamento de som, e por que não, acompanhado de um ótimo material de apoio, vai certamente deixar qualquer fã de Lennon ou dos Beatles desesperados para ter.

Mas a dona Yoko parece não ligar muito para isso, e nos últimos tempos o que ela oferece são coisas como esse box “Lennon Signature”, e diversas coletâneas temáticas com sempre as mesmas músicas já usadas em outras coletâneas nos últimos trinta anos, o que deixa uma leve impressão de que, ou ela não quer mexer nesse material por algum motivo só dela, ou vamos ser obrigados a consumi-los em conta-gotas em futuros boxes em edições caríssimas e megalomaníacas, feitos só para tirar o nosso pobre dinheirinho, e com a obra de Lennon ficando em segundo lugar.

Concluindo, se você é um fã completista e fanático de Lennon, com certeza irá querer ter esse box, caso seja um fã recente essa é oportunidade de ter um parte da discografia dele num bonito box, mas se você não é nem um nem outro, com certeza vai deixar passar esse box em branco, aliás da cor, junto do azul, com que Yoko Ono associa a música e o nome de Lennon nos últimos tempos.

Resenha Publicada em 10/11/2014





Esta resenha foi lida 1246 vezes.




Busca por Artistas

A B C D E F G H I J K L M N O P Q R S T U V W X Y Z





Outras Resenhas do Artista

CDs


Livros


Outras Resenhas