Resenha do Cd A Fúria Do Mar / Baia

A FÚRIA DO MAR  title=

A FÚRIA DO MAR
BAIA
2016

SOM LIVRE
Por Anderson Nascimento

O cantor e compositor Maurício Baia é um talentoso artista que vem despontando no cenário contemporâneo de nossa MPB. Apesar disso, Baia já conta com uma longeva carreira, tendo participado da banda “Baia e RockBoys”, com quem lançou 3 álbuns a partir de 1995. Com o fim de sua banda, por conta do falecimento de um dos integrantes, Baia iniciou a sua carreira solo, lançando o seu primeiro disco “Habeas Corpus” em 2006.

Em seu novo álbum “A Fúria do Mar”, sexto de sua carreira solo, Baia se cercou de grandes compositores e músicos que, juntamente com o próprio artista, conseguiram construir um disco pautado pela diversidade sonora e pela boa leva de composições inéditas, ou de regravações.

O disco traz faixas compostas por Baia e releituras de músicas de artistas como Gabriel Moura, Pedro Luís e Gustavo Macacko. Três canções já haviam sido apresentadas aos fãs no ano passado, quando o artista disponibilizou o EP “Ladrão que Rouba Ladrão” nas principais plataformas digitais.

Uma das características marcantes do álbum é a grande mistura de influências. O disco vai do Rock de “Toda” (Marcos Bassani) e “Pode o Céu Cair” (Tonho Gebara, Shilon Zygiel), às texturas regionais de “Tem Fila” (Gabriel Moura, Jovi Joviniano, Carlos Negreiros, Mauricio Baia), passando inclusive pela cultura afro-brasileira de “Vagabundo Confesso” (Nestor Capoeira).

Dentre os vários momentos bacanas do disco, vale destacar “Caio no Suingue” (Pedro Luis), faixa já conhecida do público carioca, “Malabar” (Baia, Gabriel Moura) e “Montanha” (Gustavo Macacko, Perez Lisboa), encantadora canção que saiu no disco solo do Gustavo Macacko, e que aqui ganhou uma versão próxima da original.

A banda que gravou o disco conta com Caesar Barbosa na guitarra, Carlos Sales na bateria, Wlad no baixo e Fabrizio Iorio nos teclados, que conseguiu criar um ambiente perfeito para as experimentações e inquietações sonoras do artista, resultando em um disco bem tocado e arranjado.

Em termos de composição ainda cabe dizer que o artista toca em temas contemporâneos que descrevem o atual cenário político brasileiro em canções como “Ladrão Que Rouba Ladrão” (Maurício Baia, Gustavo Macacko, Luciano Luck) e “Suíte Bourbon 1407” (Maurício Baia, Renato de Moraes) balada Folk que encerra o álbum.

Com azeitada mistura de sons, ritmos e influências, Baia acerta mais uma vez e põe no mercado um álbum relevante, agradável e que tem tudo para ser um dos grandes destaques desse ano de 2016.

Resenha Publicada em 19/04/2016





Esta resenha foi lida 1118 vezes.




Busca por Artistas

A B C D E F G H I J K L M N O P Q R S T U V W X Y Z





Outras Resenhas do Artista


Outras Resenhas