Resenha do Cd Desacelerando / Rodrigo Santos

DESACELERANDO title=

DESACELERANDO
RODRIGO SANTOS
2019

WARNER MUSIC
Por Anderson Nascimento

Quarto disco solo de inéditas de sua carreira, “Desacelerando” é o novo trabalho do ex-Barão Vermelho Rodrigo Santos. Quem acompanha a carreira do músico, sabe que Rodrigo é um artista inquieto, que está sempre buscando novas experiências musicais, como parcerias, regravações e tributos, daí, se formos contabilizar todos essas experiências, sua discografia chega fácil aos dez títulos.

Neste novo disco a pegada Folk, marca presente nos álbuns do cantor, está presente, ainda que de modo mais comedido. O trabalho é essencialmente um álbum de pop/Rock, e Rodrigo o faz com maestria, as letras são autorais, ora solo, ora com parceiros como Fernando Magalhães, Frejat e Rodrigo Suricatto.

Instrumentalmente o disco também está bem representado com participações de gente como João Barone, João Fera, Roberto Menescal, entre outros, destacando também o núcleo duro do disco, formado por Gustavo Camardella (guitarras, violões), Pedro Augusto (teclados) e Cezar Delano (programações).

O trabalho inicia com “Um de Nós”, parceria solar com Rodrigo Suricatto, e belíssima faixa de abertura com a precisa participação de João Barone na bateria. Curiosamente a faixa me lembrou um pouco a pegada do Skank pós-Maquinarama.

Uma característica importante neste disco é que o Rodrigo conseguiu criar faixas altamente cantaroláveis, como no caso da balada pop “Juntos de Novo (Na Madrugada)”, assim como, já no finalzinho do disco, “Um Novo Recomeçar (Mais Uma Vez)”, ótima canção que remete um pouco ao estilo Erasmo Carlos anos 80s. Ambas são parcerias com Fernando Magalhães.

Os arranjos do disco são um barato a parte, “O Meu Juízo”, o Folk do álbum, dá um show de bom gosto instrumental, enquanto “Aquarela”, a releitura do disco, vem acompanhada da rica produção e participação nas guitarras de Roberto Menescal.

Os melhores momentos do disco são as canções “Quando o Amor Era Medo”, que tem versão bônus no fim do disco com a participação do cantor Leo Jaime e “Nunca Desista de Seu Amor”, canção forte, daquelas que saímos cantando já na primeira audição. Fica também o registro de “O Mapa do Tesouro”, canção que traz os Joões Fera e Barone, e possui um arranjo espetacular.

Com “Desacelerando”, primeiro disco pós-Barão, Rodrigo Santos une à sua bela discografia mais dez novas canções de qualidade, em trabalho que parece revolver o seu atual estado de espírito: leve, ensolarado e belo.

Resenha Publicada em 12/06/2019





Esta resenha foi lida 471 vezes.




Busca por Artistas

A B C D E F G H I J K L M N O P Q R S T U V W X Y Z





Outras Resenhas do Artista

CDs


DVDs


Outras Resenhas