Resenha do Cd I Like It When You Sleep, For You Are So Beautiful Yet So Unaware Of It / 1975, The

I LIKE IT WHEN YOU SLEEP, FOR YOU ARE SO BEAUTIFUL YET SO UNAWARE OF IT title=

I LIKE IT WHEN YOU SLEEP, FOR YOU ARE SO BEAUTIFUL YET SO UNAWARE OF IT
1975, THE
2016

UNIVERSAL MUSIC
Por Johnny Paul Soares

O título do segundo trabalho dos ingleses do The 1975 é tão grande que vou confessar: achei que não ia dar para escrever tudo no título da matéria. O título é enorme, mas é possível captar; o disco possui um total de 17 músicas, mas não é conceitual. Se você esperava uma mudança de postura no som desde o primeiro álbum homônimo de 2013, acredite: assim como a capa, que é a mesma, mas com alteração apenas na cor, as composições atingiram uma verve um pouco mais alegre e, em alguns momentos, dançante. Para ter um vocalista como Matt Healy por perto, misturando questões pessoais e sociais em suas letras, é de se prever que isso tudo foi pensado.

A banda The 1975 existe desde 2002, quando foi montada em Manchester pelos amigos de escola George Daniel (bateria) Adam Hann (guitarra), Ross MacDonald (baixo) e Matt Healy, mas apenas em 2013 lançaram o álbum de estreia, homônimo, pelo selo Dirty Hit. O lançamento incluiu influências do Electro-Pop, Indie-Rock e, em seus poucos momentos, o Funk Rock, com altas referências dos anos 80 e com uma obscuridade ímpar. Agora, com “I Like It When You Sleep...”, um Pop bem feito está aí desde o início do ano. O Funk Rock ainda está presente, mas o Electro-Pop praticado anteriormente parece ter evaporado um pouco. Com sua capa rosada, o grupo conseguiu composições boas e outras apenas ok, levando o nome The 1975 para grandes palcos em diversos lugares do globo azul.

Com o cabelo a la Robert Smith (The Cure), Matthew Healy, o vocalista, flerta com questões pessoais, sociais e faz algumas citações à heroína nesse disco, criando camadas Pop-Funk em meio a sintetizadores e grooves oitentistas em uma salada musical que levou 10 meses para ser preparada em estúdio. O 1975 levantou vôo como a maior nova banda da terra da rainha, e agora caberá a Matthew & Cia não deixarem a peteca cair para não enterrarem o nome na areia, pois a fase é boa. Basta conferir em faixas como “This Must Be My Dreams” (com um sax maravilhoso e muito bem-vindo), “Love Me” (com sua ótima ginga de cartão de visitas), “Ugh!” (uma das melhores) e “She’s American” (aquela viagem sem sono).

É possível tirar uma dúvida com alguns vídeos disponíveis na internet: como eles reproduzem ao vivo o que está registrado em disco? Esporadicamente, Matt Healy toca guitarra enquanto canta, para dar suporte àquelas que precisam, além de haver músicos adicionais no palco, mesmo que escondidos. Para reproduzir as camadas de vocais de apoio presentes em “I Like It When You Sleep...”, simples: tem o pessoal contratado no palco, e os membros do 1975 também fazem os backin’ vocais. E tudo isso tocado de maneira impecável.

“I Like It When You Sleep, For You Are So Beautiful Yet So Unaware of It” foi lançado em fevereiro de 2016 pela Polydor Records (no Brasil saiu pela Universal) e foi produzido por Mike Crossey, pelo baterista George Daniel e pelo vocalista Matthew Healy.

Resenha Publicada em 26/08/2016





Esta resenha foi lida 720 vezes.




Busca por Artistas

A B C D E F G H I J K L M N O P Q R S T U V W X Y Z





LOJALOUCOSPORMUSICA - camisetas, miniaturas, chaveiros

Acesse: https://www.loucospormusica.com/

Outras Resenhas do Artista


Outras Resenhas