Resenha do Cd Pra Sempre Primavera / Suricato

PRA SEMPRE PRIMAVERA title=

PRA SEMPRE PRIMAVERA
SURICATO
2012

INDEPENDENTE
Por Anderson Nascimento

Como se já fosse veterana, a banda carioca “Suricato” abre de forma intensa o seu primeiro álbum com a música “Talvez”, um Rock urgente e potente que chama a atenção do ouvinte logo nos primeiros minutos do disco “Pra Sempre Primavera”.

O Power trio formado por Rodrigo Nogueira, Diogo Gameiro e Mário Vargas, já tem estrada, já que eles abriram por mais de um ano os shows da turnê “Bailão do Ruivão”do ex-Titã Nando Reis, e isso se reflete ao longo de todas as dez faixas desse CD, todas distintas e originais, o que faz com que seja prazerosa toda a audição do disco.

A forma inteligente como as canções vão se desenrolando é outro barato da banda. Em “Diante de Qualquer Nariz”, isso fica claro, já que a canção te leva a caminhos bem diferentes do que a faixa propõe em seu início. Há também uma nítida valorização do instrumental na faixa,o que é perceptível como característica marcante no som da banda, da forma como atestam canções como “Conceitos e Nomes”, “Inseparáveis”, com luxuoso duelo instrumental, e “Por Aí”, que trafega na estrada que resulta da bifurcação entre Rock e o Samba.

Essa carga de virtuosismo musical e talento não veio por acaso, cada integrante do trio traz uma vasta bagagem musical em seu currículo. Diogo Gameiro é também baterista da banda “Os Infernais”, que acompanha Nando Reis desde 2004. Rodrigo Nogueira já gravou e se apresentou ao lado de nomes ressonantes de nossa música, além de ter sido eleito o melhor guitarrista brasileiro no concurso “Gibson Contest” promovido pela Gibson USA, IG&T e revista “Guitar Player”. Mário Vargas participou da banda “Funk Fuckers”, do rapper B. Negão e também da famosa banda de covers “Fato Consumado”.

Entre momentos de doçura pop, como em “Superfície da Gente” e “Não Precisa Falar”, e do peso arrastado de “De Amor Não Morro”, a banda vai moldando o seu estilo particular de ser, que empolga e faz desse disco uma interessante aventura de descobrimento no limiar dessa banda que é peculiar e afável até no seu próprio nome.

Com um disco praticamente todo autoral (apenas a balada“Não Precisa Falar”, não foi composta pela banda, mas por Alexandre Penha, irmão de Rodrigo Nogueira), a banda se mostra segura e experiente, ainda que este seja apenas o primeiro disco do grupo.

Resenha Publicada em 14/07/2012





Esta resenha foi lida 1677 vezes.




Busca por Artistas

A B C D E F G H I J K L M N O P Q R S T U V W X Y Z





Outras Resenhas do Artista


Outras Resenhas