Resenha do Cd Turn Blue / Black Keys, The

TURN BLUE title=

TURN BLUE
BLACK KEYS, THE
2014

WARNER MUSIC
Por Valdir Junior

Depois de dois ótimos álbuns: “Brothers” (2010) e “El Camino” (2011), sendo o último um avassalador sucesso tanto de crítica como de vendas, o Black Keys lança o seu esperado novo álbum “Turn Blue”, que veio acompanhado de muita expectativa, tanto do público como do mercado fonográfico.

Gravado entre Julho de 2013 e Fevereiro de 2014, e novamente tendo o produtor Danger Mouse na co-produção junto com Dan Auerbach e Patrick Carney, “Turn Blue” já no lançamento do single “Fever” mostrou um novo direcionamento na música do Black Keys com uma boa dose de Soul nessa canção, a batida e guitarra garageira típica da banda pareciam que teria com esse álbum um novo elemento na química.

Para quem esperava que “Turn Blue” prosseguiria de onde “El Caminho” tinha chegado, com certeza se sentiu um pouco decepcionado com o que encontrou no álbum. Com “Turn Blue”, o Black Keys dá uma passo a frente e adiciona ao seu Blues Rock de garagem além do Soul já citado acima, um pouco de rock psicodélico.

Com certeza essa mudança foi vista como necessária por Dan Auerbach e Patrick Carne, pois depois do sucesso e “El Caminho” o que seria mais fácil para eles seria produzir um volume 2 desse álbum. Mas como desde seu primeiro e também excelente álbum “The Big Come Up” (2002) a banda vem aproximando o seu indie blues rock de garagem, em uma música em que a qualidade tanto de composição como no som propriamente dito vem num crescendo, a solução artística para esse novo álbum foi experimentar.

Logo na primeira música "Weight of Love" somos levados a uma viagem espacial que lembra muito o som do Pink Floyd em álbuns como “More” e “Obscured by Clouds”, aliás, há alguns momentos em “Turn Blue” que chegamos a parar para pensar se não é mesmo um bootleg do Pink Floyd que estamos ouvindo, faixas como: "Bullet in the Brain" e a própria faixa título “Turn Blue” são exemplos disso. Já faixas como “In Time”, "Year in Review" e "10 Lovers" apresentam a pitada soul do álbum. As músicas "It's Up to You Now", "Gotta Get Away" são as que mais estão perto do som já conhecido da banda.

Talvez esse não se torne o seu álbum preferido da banda, mas com o tempo com certeza ele vai estar entre os que você mais gosta dentro da discografia do grupo. Como toda banda que tem um projeto artístico o Black Keys leva a sua música a um novo estagio, que pode não ter agradado todo mundo, mas com certeza vai fazer com que a música do Black Keys continue a ser ainda relevante nesses tempos de mesmices e acomodações.

Resenha Publicada em 11/08/2014





Esta resenha foi lida 995 vezes.




Busca por Artistas

A B C D E F G H I J K L M N O P Q R S T U V W X Y Z





Outras Resenhas do Artista

CDs


Outras Resenhas