Resenha do Cd Queen Forever / Queen

QUEEN FOREVER title=

QUEEN FOREVER
QUEEN
2014

UNIVERSAL MUSIC
Por Anderson Nascimento

Por mais que alguns fãs torçam o nariz para a forma como o legado do Queen vem sendo conduzido, não há como negar que o mercado está sempre servido de lançamentos que carregam o nome da banda.

Este ano os fãs foram agraciados com o lançamento do CD e DVD “Rainbow’74” com o lendário concerto do grupo, ainda em fase seminal. Para o fim do ano chegou mais um lançamento: a coletânea “Queen Forever”.

Apesar de ser uma coletânea, o disco tem lá a sua relevância. Um dos motivos é que não se trata de (mais) um disco de sucessos, mas sim uma coletânea praticamente temática, baseada em baladas. O outro, e certamente o mais importante motivo, é o fato de o disco trazer três novas canções que com participação dos quatro membros originais do grupo.

A primeira é o single “Let Me In Your Heart Again”, que abre o disco. A canção é originária de uma gravação da época do álbum “The Works” (1984). A faixa foi gravada em Los Angeles em 1983 e chegou a ser lançado no disco da esposa do Brian May, Anita Dobson, em seu álbum “Talking of Love” (1988), com o próprio marido na guitarra.

A segunda inédita do disco é “Love Kills”, faixa também gravada nas sessões do álbum “The Works”, mas lançada em single como primeira gravação solo de Freddy Mercury e utilizada na trilha sonora do relançamento do filme “Metropolis” em 1984.

E a última das inéditas é “There Must Be More To Life Than This”, emocionante faixa que inclui um dueto com o Rei do Pop Michael Jackson a partir da produção e mixagem do produtor William Orbit. A versão foi feita usando a faixa original, gravada em 1981 para o álbum “Hot Space” (1982), mas que acabou não sendo utilizada na época.

O disco saiu em duas versões, a simples que traz 18 músicas, e a deluxe, que é dupla, traz 36 faixas. A título de curiosidade, a verão deluxe do disco compila canções da seguinte maneira: 5 faixas são do “Made In Heaven” (1995), enquanto “A Day At The Races” (1976), “The Game” (1980) e “A kind of Magic” (1986) cederam 4 faixas; com 3 faixas aparecem “Sheer Heart Attack” (1974), “A Night of The Opera” (1975) e “Innuendo” (1991); o “The Works” (1984) aparece com 2; e os demais, “Queen II” (1974) , “News of The World” (1977), “Jazz” (1978), “Hot Space” (1982), e “The Miracle” (1989), com uma música cada.

Assim, a simpática coletânea acaba sendo item obrigatório para os fãs da banda por conta do belo trabalho feito com as faixas inéditas. E para quem gosta de coletâneas, é só “dar o play” e se deixar levar pela seleção de canções de uma das maiores bandas que esse mundo já teve o prazer de conhecer.

Resenha Publicada em 02/12/2014





Esta resenha foi lida 1243 vezes.




Busca por Artistas

A B C D E F G H I J K L M N O P Q R S T U V W X Y Z





LOJALOUCOSPORMUSICA - camisetas, miniaturas, chaveiros

Acesse: https://www.loucospormusica.com/

Outras Resenhas do Artista

CDs


Livros


Outras Resenhas