Resenha do Cd A Hora Certa De Ultrapassar Um Caminhão / Elevadores, Os

A HORA CERTA DE ULTRAPASSAR UM CAMINHÃO title=

A HORA CERTA DE ULTRAPASSAR UM CAMINHÃO
ELEVADORES, OS
2014

INDEPENDENTE
Por Anderson Nascimento

Quem tá ligado no cenário independente certamente já ouviu falar da banda Elevadores. Formada em 2009 e dona de singles marcantes como “Mais Uns 100 Anos” (2013), o grupo vem ganhando a atenção da imprensa especializada e também de ouvintes espontâneos com a qualidade de seu trabalho.

O grupo acaba de lançar o seu novo trabalho com o sugestivo nome “A Hora Certa de Ultrapassar Um Caminhão”. Com canções que seguem a linha que a banda vem mostrando no desmedido cenário independente, o disco prova que o grupo amadureceu em suas composições e levou o seu som para um patamar acima no que diz respeito à sua sonoridade.

A sequência inicial dá voz ao lamento daqueles que sofrem por amor no ótimo Rock “Alvo Fácil”, faixa que traz uma interessante sacada em sua letra, e segue com a instrumentalmente caótica “Pagode Chinês”, que confronta a perfeição feminina à imperfeição masculina. “Desanda”, a faixa seguinte, continua a saga de como o amor pode invadir e mudar a vida de alguém.

Passada a trilogia das vicissitudes do amor, o álbum avança com o terno Rock “Eu Na Estrada”, enquanto o próximo Rock, “Refrão Comum”, é o momento virtuose da banda, que adorna a faixa com um solo matador que se estende ao longo de toda a faixa.

“Você Corre Um Sério Risco de Nunca Mais Me Ver” é uma das canções mais bacanas do disco, e uma das mais distintas também. A canção agrega uma pegada que urde Rock básico, psicodelismo e Pop sessentista, como se juntássemos em uma mesma panela The Who, Beach Boys e The Hollies.

É nesse momento também que conceitualmente o disco parece entregar a relação existente entre as canções. Tudo então passa a fazer ainda mais sentido em conjunto, o que sob esse aspecto torna o disco ainda mais interessante.

Na sequência, a triste partida descrita em “Congelador de Desculpas”, juntamente com o já intrínseco pedido de mesa pra dois em “Mesapadois” exasperam o âmago do indivíduo com as dores do amor.

As faixas finais seguem com boas letras como em “Quando Me Pego Pensando Alto Pelos Cantos Deixo Seu Nome Escapar Pela Boca” e “Vertigium”, enquanto o Rock “Ainda Prefiro Assim” fecha o disco fazendo autorreferência de versos do disco e nos brindando com versos como “Só vou dormir quando eu ver a luz do seu quarto apagar ai sim eu vou saber que está tudo bem”.

Da paixão avassaladora até a dor da saudade de um amor perdido, Os Elevadores entregam um disco inspirado no amor e nos sentimentos que o cercam. O grupo foi paciente e lançou o seu disco “cheio” no momento certo, após o lançamento de EP, single e ótimos videoclipes. Gratas surpresas como este disco é o que faz o universo independente ser cada dia mais interessante.

O grupo colocou o disco inteiro para download em seu (belo) novo site http://www.oselevadores.com.br/, onde você também pode adquirir o disco em formato físico. Abaixo você pode ouvir o disco por streaming.

Resenha Publicada em 27/11/2014





Esta resenha foi lida 1137 vezes.




Busca por Artistas

A B C D E F G H I J K L M N O P Q R S T U V W X Y Z





Outras Resenhas do Artista

CDs


Outras Resenhas