Resenha do Cd 20 Anos / Cpm 22

20 ANOS title=

20 ANOS
CPM 22
2015

UNIVERSAL MUSIC
Por Anderson Nascimento

Vinte anos é muito tempo. Poucos grupos oriundos dos idos dos 90s se mantiveram na ativa e com tantos sucessos como o grupo paulista CPM22. O Rockzinho nervoso do grupo começou a fazer barulho no underground ainda nos anos 90, mas foi com a tríade “Regina Let’s Go”, “Tarde de Outubro” e “O Mundo Dá Voltas”, lançadas no álbum “CPM 22” (2001) que o grupo ganhou o Brasil e conseguiu a primeira vendagem expressiva.

Logo o som da banda foi rotulado como Emocore, algo como Hardocore melódico. O nome acabou sendo encurtado para “Emo” e utilizado de maneira pejorativa para classificar grupos que faziam Rock melancólico no início dos anos 2000.

Rótulos à parte, o CPM continuou fazendo sucesso, enquanto via os grupos surgidos e batizados de Emo se afogando nas próprias lágrimas. Com “Chegou a Hora de Recomeçar” (2002) vieram canções como "Desconfio", "Dias Atrás" e "Não Sei Viver sem Ter Você" sucessos absolutos em rádios, canais de Tv voltados para a música, e até trilha sonora de novela.

Com “Felicidade Instantânea” (2005) veio o megassucesso “Um Minuto para o Fim do Mundo”, e outros hits como “Irreversível” e “Apostas e Certezas”, além da afirmação da banda como uma das preferidas do público jovem, o que valeu ao grupo diversos prêmios na época.

Após o lançamento do bem sucedido “MTV Ao Vivo” (2006), que trouxe as inéditas “Inevitável”, “Além de Nós” e “Pouco pra Mim”, o grupo partiu para o próximo inédito. “Cidade Cinza” (2007), com os sucessos “Nossa Música”, “Escolhas, Provas e Promessas” e “Estranho no Espelho”, e uma sonoridade mais roqueira e menos romântica.

Na década atual a banda gravou apenas um disco de estúdio, “Depois de Um Longo Inverno” (2011), disco que já encerrava um hiato de quatro anos sem álbum de inéditas. “Vida ou Morte”, “Quem sou eu?!”, “Filme que eu nunca vi” e “Cavaleiro Metal”, foram os destaques de um disco que explorou outros ritmos que foram além da tradicional estirpe do grupo.

Na sequência o grupo lançou o disco “Acústico CPM 22” (2013), que trouxe o single inédito “Perdas”, mas foi em 2015 que o grupo recebeu uma de suas maiores honrarias, a de ter sido convidada para tocar no palco mundo da edição de 2015 do Rock in Rio. O grupo fez um show que foi grande sucesso de público, com o público cantando todas as letras e aproveitando cada canção. Por mais que ainda houvesse cri-crítico fazendo pouco caso do show, a apresentação foi sucesso absoluto.

Em suma, essa coletânea que acaba de chegar ao mercado é um desfile de hits e boas canções, tratando-se de um item fundamental para quem não tem os discos do grupo, e obrigatório para os colecionadores, já que o disco traz duas novas gravações: “Entre o Céu e o Inferno” e uma releitura de “Por Quê”, faixa do primeiro álbum do grupo “A alguns quilômetros de lugar nenhum” (2000).

Resenha Publicada em 16/10/2015





Esta resenha foi lida 1087 vezes.




Busca por Artistas

A B C D E F G H I J K L M N O P Q R S T U V W X Y Z





LOJALOUCOSPORMUSICA - camisetas, miniaturas, chaveiros

Acesse: https://www.loucospormusica.com/

Outras Resenhas do Artista

CDs


Outras Resenhas