Resenha do Cd Luciano Granja Grupo / Luciano Granja Grupo

LUCIANO GRANJA GRUPO title=

LUCIANO GRANJA GRUPO
LUCIANO GRANJA GRUPO
2016

INDEPENDENTE
Por Anderson Nascimento

Os mais antenados ouvintes do Rock nacional relacionam automaticamente o nome de Luciano Granja com a banda gaucha Engenheiros do Hawaii, já que o músico tocou com o chefão Humberto Gessinger entre 1996 e 2001. Mas além de Gessinger, Granja também possui vasto trabalho como músico em juntamente com artistas como Keliton e Kleidir, Pitty e Armandinho.

Envolvido também em outros projetos solo, Luciano Granja uniu-se ao baixista Fernando Peters (Cidadão Quem, Humberto Gessinger) em 2010, dando início ao embrião do que seria a banda batizada de “Luciano Granja Grupo”, que completou a sua formação com Tio Vico (Phantom Powers, Flash and Blood) e Luigi Vieira (Vera Loca). A banda então decidiu gravar a sua música em CD, autointitulado, após uma série de apresentações no Sul do Brasil.

O Rock pesado “M4T3M4TIC4”, que abre o disco, é um bom cartão de visitas e fica claro que a ideia é que o disco siga mesmo nessa linha, como comprova “Carta”, primeiro single de trabalho. De batida seca, “Valeu a Pena?!” é tão crua que chega a ter cara de ensaio em estúdio. A faixa é um dos destaques do álbum, pela simplicidade da letra e sua respectiva coerência sonora.

Essencialmente roqueiro, o primeiro disco do LGG, ainda que discretamente, também passeia por outras sonoridades como o eletrônico em “Tarde...”, faixa que é emendada com “V.A.P.P.R.” em seu fim, uma curta canção que contém Rock muito pesado e distorções diversas.

“Quem Eu Sou” abre com uma cozinha de fazer inveja, segue com uma guitarra de timbre estiloso, até virar uma canção esquizofrênica que mistura inglês e português, que acaba lembrando muito o som feito em meados dos anos oitenta. Após a curta canção instrumental “Recuerdo”, a banda recebe o cantor Pedro Veríssimo como convidado para cantar na balada “Escuro”.

Embora contenha vários elogiosos momentos, “Vontade de Voar” é a melhor canção do disco. Trata-se de um Rock básico que se caracteriza por boa letra e refrão que te contamina de maneira bem fácil.

“Não Me Leve a Mal” encerra calmamente este disco que tem o objetivo de apresentar a banda e o faz de maneira excelente. A maior qualidade do disco é que ele respeita muito bem o conceito de álbum, que às vezes fica de fora, principalmente quando se trata do primeiro álbum de um artista ou banda.

Após a audição do primeiro rebento do grupo, conclui-se que temos um ótimo novo grupo de Rock no Brasil e, principalmente, que as apresentações ao vivo do LGG (pra quem nunca os assistiu, como eu), devem ser, no mínimo, contagiantes.

Resenha Publicada em 23/12/2016





Esta resenha foi lida 709 vezes.




Busca por Artistas

A B C D E F G H I J K L M N O P Q R S T U V W X Y Z





Outras Resenhas do Artista


Outras Resenhas