Resenha do Cd Consenso / Urgia

CONSENSO  title=

CONSENSO
URGIA
2016

INDEPENDENTE
Por Anderson Nascimento

Banda carioca, a Urgia lançou o seu segundo disco em outubro de 2016 nas plataformas digitais e em CD físico. Financiado coletivamente, o que prova a força da banda perante o seu público, o sucessor de “Como Tudo Nesse Mundo” (2012) traz 14 novas canções autorais.

Conceitualmente o disco é dividido em “Lado de Cá” e “Lado de Lá” e, embora o disco pareça longo num primeiro momento, o novo trabalho do grupo traz 48 minutos de áudio, o que faz a sua audição passar bem rápido, já que as músicas em geral são curtas.

O disco inicia com “Na Linha”, canção de grande originalidade, não só ideológica, mas também instrumentalmente falando. Essa originalidade, aliás, é uma das marcas desse disco e, claro, da banda. “Você Ainda Tem Um Sonho (Do Outro Lado do Espelho)”, a segunda do álbum, tem como destaque o seu andamento, que vai construindo diversas texturas ao longo da boa faixa.

Percebemos em “Consenso” que a banda ampliou os seus horizontes. Faixas como “Samba do Maluco” ajudam a revelar tal fato, já que o grupo mira em uma sonoridade repleta de brasilidade, que chega a lembrar o som dos “Los Hermanos” do início década passada. A belíssima balada “Até Dizer Chega” corrobora a busca do grupo por horizontes ainda não navegados, brincando com as letras, experimentando sons além do Rock e enchendo de lágrimas os olhos do ouvinte, por trazer à memória recordações de pessoas especiais que passaram por nossas vidas.

“Meu Nome” é outro momento especial. A canção traz um arranjo surpreendente, regado de uma interpretação incrível do vocalista e coro impressionante. A canção “Do Lado de Cá” fecha a primeira parte do disco com a boa balada “Geração Espontânea”, que tem uma linha que lembra um pouco Nando Reis.

A segunda parte do disco inicia com o Rock “Geração Espontânea” e é seguido por outro grande destaque do disco: “Me Diz, Culpa”, canção que novamente exibe a banda brincando com as palavras.

Munido de Rocks, como o cativante “Só O Amor Não Basta”, a segunda metade do disco tem algumas canções mais fortes, caso de “Rock da Classe Média” e “Eu Quero Que Acabe”, esse segundo um Rock raivoso e um tanto hedonista.

Produzido por Celo Oliveira e pela própria banda, “Consenso” é um trabalho maduro, bem elaborado sob todos os aspectos, e tem tudo para ainda fazer muito barulho, não só no Rio de Janeiro, mas em todo o Brasil, já que o disco mostra que aqui temos uma banda pronta para desbravar as ondas sonoras desse país.

Resenha Publicada em 11/01/2017





Esta resenha foi lida 802 vezes.




Busca por Artistas

A B C D E F G H I J K L M N O P Q R S T U V W X Y Z





Outras Resenhas do Artista

CDs


Outras Resenhas