Resenha do Cd Write About Love / Belle & Sebastian

WRITE ABOUT LOVE title=

WRITE ABOUT LOVE
BELLE & SEBASTIAN
2010

LAB 344
Por Anderson Nascimento

O status de “cult” que a banda escocesa “Belle & Sebastian” assumiu ao longo dos anos certamente iniciou junto com a sua fase independente e com o burburinho causado em torno do álbum “Tiger Milk”, esgotado rapidamente e transformado em objeto de desejo de cada fã da banda.

A forma como os escoceses trilharam a sua carreira e, principalmente, o seu peculiar estilo musical, ajudou o grupo a manter o status de banda mais bem quista do cenário alternativo moderno.

Em seu último álbum de estúdio “Write About Love”, a beleza minimalista do grupo dá o seu recado ao longo das onze faixas da obra, desde “I didnt see it coming”, e seus riffs melódicos e belos arranjos vocais, passando pela beleza simplicista de “Come On Sister”.

Em seu último álbum de estúdio “Write About Love”, a beleza minimalista do grupo dá o seu recado ao longo das onze faixas da obra. A banda se mantém em sua zona de conforto em faixas como “I didnt see it coming”, e seus riffs melódicos e belos arranjos vocais, e na beleza simplicista de “Come On Sister”, passando por “The Ghost of Rockschool” outra bela faixa que segue essa linha.

Apesar de contar com momentos mais radiofônicos, caso da pop “Sundays Pretty Icons”, que fecha o disco e é recheada de efeitos de sintetizadores, o álbum funciona como uma espécie de trilha sonora, mantendo uma perceptível liga entre as faixas. Apesar de adocicado, nota-se uma melancolia inserida entre momentos tal como “I Can See Your Future” e seu arranjo clássico.

Já “I Want The World to Stop”, melhor faixa do álbum, é campeã no quesito arranjos e produção e seu ritmo acelerado faz qualquer ouvinte se mexer acompanhando a marcação da melodia. A sequência com “Little Lou, Ugly Jack, Prophet John”, é outro bom momento e traz a participação da cantora Norah Jones, abrilhantando ainda mais a faixa.

A faixa título inicia uma parte brilhante do álbum, a guitarra seca e sessentista da faixa dá um clima mais retrô e menos alternativo, a atriz inglesa Carey Mulligan participa nos vocais. A sua sequência é “Im not living in the real World”, faixa bacaníssima que parece uma viagem no tempo direto para a fase psicodélica dos anos sessenta.

O álbum recebeu ótimas avaliações dos críticos do mundo inteiro e certamente não decepcionou os seus fãs. Por ser mais facilmente palatável que a maioria dos álbuns da banda, esse disco certamente atrairá novos admiradores do trabalho do “Belle & Sebastian”. Vale a ouvida!

Resenha Publicada em 08/07/2011





Esta resenha foi lida 982 vezes.




Busca por Artistas

A B C D E F G H I J K L M N O P Q R S T U V W X Y Z





Outras Resenhas do Artista


Outras Resenhas