Resenha do Cd Sexo / Erasmo Carlos

SEXO title=

SEXO
ERASMO CARLOS
2011

COQUEIRO VERDE
Por Anderson Nascimento

A fase recente de Erasmo Carlos é o resultado de uma espécie de “volta” do Tremendão às atividades, principalmente se levarmos em consideração que ao longo de todos os anos 90, Erasmo lançou apenas um álbum de inéditas. Que bom que essa “redescoberta” de Erasmo Carlos está cercada de bons álbuns, haja vista discos como “Rock n Roll”, recheado de boas músicas, responsável por garantir belas apresentações ao vivo do artista.

Uma bem estruturada campanha de divulgação de seu novo álbum, “Sexo”, onde foram liberados singles, teasers e vídeo-clipes, o que gerou uma grande expectativa por parte do público em torno do disco. Muito disso também se deveu ao divertido single (e caliente videoclipe) “Kamasutra”, composição de Erasmo e Arnaldo Antunes, tido como carro-chefe deste novo lançamento.

A já citada “Kamasutra” abre o disco mostrando que Erasmo continua inspirado. O Rock praticado na canção é livre de qualquer acanhamento, e brinca com o tema principal abordado no disco. Porém, “Sexo”, talvez propositalmente, é um álbum bem menos roqueiro que o seu antecessor.

O disco, no entanto, apresenta algo que chama a atenção de imediato, em vários momentos a sua sonoridade aproxima-se do som feito por Erasmo nos anos oitenta. A balada “Apaixocólico Anônimo” é um desses momentos, a canção, aliás, é uma das melhores músicas desse novo lançamento. A balada, que fala sobre sexo oral, tem tudo para ser mais um entre os grandes sucessos de Erasmo, pois além de ser uma canção redonda, a música entrou recentemente na trilha da novela “Aquele Beijo” da Rede Globo, o que certamente vai ajudar muito na divulgação.

“Roupa Suja”, outra composição em parceria com o ex-Titã, é música que traz muito desse Erasmo dos anos oitenta, ela possui uma melodia riquíssima, e conta com uma interpretação magistral do Tremendão.

Algo que faz “Sexo” ganhar muitos pontos positivos é a originalidade das canções, e a forma pela qual as mesmas são interpretadas. “Amorticídio” é um desses momentos marcantes. De melodia leve e originalíssima, a música está certamente entre os maiores destaques do álbum.

A tendência de usar as baladas para viajar no tema do álbum pode ser observada em canções como “Vênus e Marte”, “Sentimento Exposto” e a bonita “E Nem Me Disse Adeus”. Por outro lado, o único momento roqueiro que consegue ombrear com a faixa de abertura é “Sexo e Humor”, grande Rock no estilo anos cinquenta que eletriza o disco.

Em outros momentos, quando determinada canção ameaça entrar no Rock, caso de “O Rosto do Rei”, a melodia se envereda para um lado mais Pop, ajustando-se ao formato do disco. Este também é o mote de “Seu Homem Mulher”, canção composta em parceria com Adriana Calcanhotto, que ganha também a guitarra de Frejat.

“Sexo” é um álbum inteligente e bastante agradável. O disco possui uma série de potenciais canções que podem entrar nas apresentações de Erasmo Carlos, mostrando que ele realmente vive uma grande fase, e que o eterno Tremendão ainda tem muito a dar para a música brasileira. Ainda bem.

Resenha Publicada em 21/09/2011





Esta resenha foi lida 1402 vezes.

Erasmo Carlos - Kamasutra (Videoclipe Oficial) from Coqueiro Verde Records on Vimeo.




Busca por Artistas

A B C D E F G H I J K L M N O P Q R S T U V W X Y Z





Outras Resenhas do Artista

CDs


DVDs


Outras Resenhas