New Document

Galeria Musical

Grupo Dose Certa / Pra Sempre Samba / Resenha de Álbum

    PRA SEMPRE SAMBAGRUPO DOSE CERTA
    UNIVERSAL MUSIC
    2012
    Por Anderson Nascimento

    opinião dos leitores: 4.50 de um total de 4 votos




    Formado por quatro paulistas e um carioca, o “Grupo Dose Certa” é dono de um ilustre conjunto de admiradores, composto por grandes nomes do Samba brasileiro como Leci Brandão, Almir Guineto, Dona Ivone Lara, Beth Carvalho, Alcione, Ivan Lins, dentre outros. Composto por Alemão do Cavaco, compositor de premiados Sambas em grandes Escolas de Samba de São Paulo e do Rio de Janeiro, Vitor da Candelária, J. Petróleo, Vinícius Almeida e Wilsinho do Peruche, o grupo é formado por músicos que já escreveram seu nome nas páginas da história do Samba brasileiro.

    Gravado ao vivo no Teatro FECAP (SP), “Pra Sempre Samba”, é um disco que vem com a importante missão de mostrar ao Brasil o som e suingue do grupo que aposta no Samba tradicional, aquele tão difícil de encontrar nos dias de hoje.

    E já na abertura de seu disco, a banda quer revelar a sua identidade, e deixar com que saibam qual é a sua linha, iniciando com a canção “Samba, Eu Te Agradeço”, que presta uma homenagem a nomes de sambistas que já se foram como Nelson Cavaquinho, Noel Rosa e Cartola, inclusive questionando a atual cena sambista, afirmando que os tempos idos não voltam mais, na letra de Mauro Diniz, filho do Mestre Monarco da Portela, e um vocal que lembra (muito) a do João Nogueira.

    As participações especiais presentes no disco também ajudam a recomendar o som do grupo. Ivan Lins, por exemplo, faz uma bela participação na canção “No Compasso do Samba” (Sereno/Moacyr Luz); “Ela e Ele” (J. Petróleo), traz a cantora Ana Costa fazendo dueto com o grupo; e Leci Brandão, uma de nossas grandes Divas do Samba, entoa “O Tombo da Corrente” (J. Petróleo/Nelson Papa), música que parece ter sido concebida já na intenção de ter Leci como intérprete.

    Com boas letras como a do Samba “Peito Ferido” (Wilson Lucena/Alemão do Cavaco), e a homenagem à João Nogueira em “Velho João” (Adilson Bispo/Zé Roberto), o grupo acerta a mão e entrega um disco que enche os admiradores do Samba de esperança no que tange a agregação de novos nomes à lista de artistas que defendem esse ritmo encantador e que representa maravilhosamente a nossa cultura.

    Resenha publicada em 25/07/2012






    Esta resenha foi lida 2355 vezes.



Classifique o álbum!




BUSCA POR ARTISTAS

A B C D E F G H I J K L M N O P Q R S T U V W X Y Z

BUSCA INTERNA

ANUNCIANTES









New Document