Resenha do Cd George Fest: A Night To Celebrate The Music Of George Harrison / George Harrison

GEORGE FEST: A NIGHT TO CELEBRATE THE MUSIC OF GEORGE HARRISON title=

GEORGE FEST: A NIGHT TO CELEBRATE THE MUSIC OF GEORGE HARRISON
GEORGE HARRISON
2016

UNIVERSAL MUSIC
Por Anderson Nascimento

Após a morte do ex-Beatle George Harrison em 29 de novembro de 2001, o mundo assistiu um dos mais bonitos tributos já realizados em toda a história da música o “The Concert For George”, show realizado no Royal Albert Hall em Londres, exatamente um ano após a sua passagem.

Gravado no Fonda Theatre em Los Angeles em 28 de setembro de 2014, “George Fest: A Night To Celebrate The Music of George Harrison”, o novo tributo, foi lançado somente em 26 de fevereiro de 2016, um dia após o aniversário de George, que faria 73 anos se estivesse vivo.

Diferentemente do primeiro tributo, em que as maiores estrelas da música que de alguma forma tiveram envolvimento artístico com George estavam presentes, neste a lista de desconhecidos é enorme, tendo como principais destaques Brian Wilson, Norah Jones, Brandon Flowers, Ben Harper e Ian Astbury.

Dessa forma, em boa parte do CD as músicas caminham sozinhas, já que para estragar as belas canções de George só mesmo com uma apresentação bomba e, pela memória de George, ainda bem que isso não aconteceu.

Há muito pouca ousadia nas interpretações e arranjos, dentre elas pode-se citar a releitura de “Ballad of Sir Frankie Crisp (Let It Roll)”, que traz Jonathan Bates (do Mellowdrone, banda de Los Angeles) com a participação de Dhani Harrison, em um diferenciado arranjo. Entre os outros artistas que ousaram um pouco mais está a banda “Black Rebel Motorcycle Club”, que faz uma boa versão com levada alternativa de “The Art of Dying”. Nessa linha também está “It’s All Too Much”, faixa lançada em “Yellow Submarine” dos Beatles em 1969, que ganha releitura da banda “The Flaming Lips”.

Dhani Harrison, filho de George e organizador do tributo, faz uma precisa versão de “Savoy Truffle”, faixa do Álbum Branco (1968) dos Beatles, e também interpreta “Let It Down”, do primeiro álbum solo de George “All Things Must Pass” (1970).

Norah Jones faz corretas versões para “Something”, dos Beatles, e “Behind That Locked Door”, outra canção do primeiro álbum solo de George, tendo sempre ao seu favor a sua doce voz. Brandon Flowers (The Killers) também não acrescenta nada a “I Got My Mind Set On You”, apesar de mandar bem na interpretação que contou com a ajuda dos presentes na plateia. Já o grande amigo de Dhani, Ben Harper interpreta “Give Me Love”. Uma das mais esperadas colaborações, no entanto, é a de Brian Wilson (Beach Boys), que não se compromete em sua interpretação de “My Sweet Lord”.

Entre as curiosidades do show destaca-se inclusão do lado b “Be Here Now”, faixa do álbum “Living in The Material World” (1973), interpretada por Ian Astbury (do The Cult), com sua voz sombria. A linda “Any Road”, faixa do póstumo “Braiwnashed” (2002), também ganha uma boa interpretação por Butch Walker (SouthGang, Marvelous 3), além de ser outra surpresa do repertório e destaque do disco.

O encerramento fica por conta de “Handle With Care”, single dos “Travelings Wilburys” que vem sendo presença constante em shows dos ex-Wilburys Jeff Lynne e Tom Petty, e que também aparece nos dois tributos ao Harrison, e “All Things Must Pass” que, assim como a faixa anterior, ganha a interpretação dos vários presentes.

É possível que a versão em vídeo possa agregar um pouco mais de emoção em determinadas faixas que passam meio despercebidas na versão em áudio do tributo. De qualquer forma este novo trabalho celebra a obra de George em 26 grandes canções que amamos desde sempre.

Resenha Publicada em 02/03/2016





Esta resenha foi lida 1098 vezes.




Busca por Artistas

A B C D E F G H I J K L M N O P Q R S T U V W X Y Z





Outras Resenhas do Artista

CDs


Livros


Outras Resenhas