Resenha do Cd Renato Russo Duetos / Renato Russo

RENATO RUSSO DUETOS title=

RENATO RUSSO DUETOS
RENATO RUSSO
2010


Por Anderson Nascimento

Existem várias maneiras de se analisar o cd “Renato Russo – Duetos”, idealizado por Marcelo Fróes e lançado pela EMI. A primeira delas é no que tange às preciosidades encontradas no CD. Como fã dos Beatles, sempre torci para que fossem lançados oficialmente os famosos takes conhecidos através de bootlegs, que nem sempre apresentavam qualidade sonora à altura de um lançamento oficial. As vezes em que isso era possível, como quando foi lançada a série Anthology, por exemplo, o acontecimento tornava felizes milhares de fãs pelo mundo.

Nesse lançamento, temos um pouco disso. Faixas como as participações de Renato Russo no programa “Por Acaso”, com Adriana Calcanhoto na canção “Esquadros”, ou com Dori Caymmi na canção “Só Louco”, apresentam qualidade de áudio ruim, mas historicamente são importantes para a geração de fãs do cantor falecido em 1996, que não tiveram a oportunidade de ouvir (ou assistir) o dueto em sua época de gravação.

É assim também com o dueto de Renato e Herbert Vianna em “Nada Por Mim”, este gravado para um especial (já lançado em DVD) para a TV Globo nos anos 80 e “Summertime” cantada em um registro semi-caseiro com a cantora Cida Moreira, ambas com baixa qualidade de áudio, mas com um enorme valor histórico.

Com um áudio recuperado em estúdio, e por isso, com o som melhor que as anteriores, o embrião do que viria ser a canção “Soul Parsifal”, do disco “A Tempestade”, cantada junto com Marisa Monte, quando o nome da canção ainda era “Celeste”, revela que a faixa foi originalmente concebida em um clima menos pesado e mais “pra cima”.

Outra forma de avaliar o CD é o fato de reunir em um mesmo álbum os poucos duetos gravados “de verdade” por Renato ao longo de sua carreira, então nesse caso “A Carta” com Erasmo Carlos, “A Cruz e a Espada” com Paulo Ricardo e “Mais Uma Vez” com 14 Bis, que na verdade, foi lançada originalmente sem a voz de Renato.

Do ponto de vista “Canções”, aí entram os duetos celebrados em estúdio, é interessante e comovente ouvir Cássia Eller cantando “Vento no Litoral” em um tributo ao próprio Renato, e a junção das gravações de Renato Russo em inglês e Zélia Duncan em português para a música “Cathedral Song”.

O melhor momento do disco, porém, é a nova versão de “Strani Amore”, que assim como “La Solitudine” em dueto com Leila Pinheiro, teve o seu áudio refeito, e o vocal gravado especialmente para o disco, possibilitando que Laura Pausini desse uma bela interpretação à canção em cima do vocal original de Renato.

No fim das contas, “Duetos”, presta uma homenagem ao repertório solo de Renato Russo, com recriações de canções gravadas por ele para os álbuns “The Stonewall Celebration Concert” e “Equilíbrio Distante”, trazendo, além dos cantores já citados, Caetano Veloso, Célia Porto e Fernanda Takai.

O disco, no entanto, pode assustar aos desavisados que comprarem o disco pensando em ouvi-lo como “pano de fundo”, por conta das canções com qualidade sonora tolerável somente para colecionadores, os estudiosos e fãs da carreira de Renato Russo, por outro lado, gostando ou não do lançamento, deverão comprar o álbum por conta dos mesmos registros históricos, já que para um fã, não há nada melhor do que descobrir faixas inéditas de um ídolo que infelizmente não está mais aqui para gravar nenhuma outra canção.

Resenha Publicada em 17/05/2010





Esta resenha foi lida 1458 vezes.




Busca por Artistas

A B C D E F G H I J K L M N O P Q R S T U V W X Y Z





Outras Resenhas do Artista

CDs


Outras Resenhas