Resenha do Cd Beggars Banquet / Rolling Stones, The

BEGGARS BANQUET title=

BEGGARS BANQUET
ROLLING STONES, THE
1968

UNIVERSAL MUSIC
Por Thais Sechetin

Produzido pelo então estreante Jimmy Miller, (que trabalhou posteriormente em "Let It Bleed", "Sticky Fingers"," Exile On Main St" e "Goats Head Soup"), o álbum marca o fim da não tão bem sucedida fase psicodélica lembrada pelo álbum anterior "Their Satanic Majestiy´s Request" e , mesmo após dois anos sem algum trabalho significativo e muitas brigas, prisões e "baixos e baixos" na vida de Brian Jones, a banda consegue voltar para as raízes do blues e do country, lançando um álbum acústico que deu início a fase de ouro da banda, que duraria até 1972, com o lançamento do também clássico "Exile on Main St".

Muitas são as histórias ou lendas em volta de "Beggars Banquet", que já começa com uma das músicas que até hoje é um dos maiores sucessos dos Stones, "Sympathy For The Devil". Para nós, brasileiros, a música carrega uma batida do nosso tão conhecido samba, feitos com instrumentos de percussão utilizados na umbanda. A música fala sobre a visão da humanidade a partir de Lúcifer, o que fez a banda ser marcada de vez como satanista,como tantas vezes antes e depois na história do Rock, muitos músicos foram relacionados ao ocultismo e satanismo. Algumas histórias não oficiais contam que, na verdade, a música foi inspirada em um livro chamado "The Master And Margarita", de Mikhail Bulgakov, que contava a história de Lúcifer visitando Moscou após a Revolução de 30.

Um fato marcante na história da gravação do disco foi a ausência de Brian Jones. Apenas na faixa "No Expectations" ele se desenvolveu como o grande músico que costumava ser, porém, suas crises de depressão, seguidas de abuso e álcool e drogas e divergências com Jagger e Richards, não permitiram que ele fizesse parte dos créditos do disco e Keih Richards declara que ele simplesmente não teve mesmo qualquer participação.Outra curiosidade sobre "A Beggars Banquet" é a capa do álbum . Conta-se que antes da capa que remete a um convite para um banquete (assim como o título), muitas foram as ideias recusadas pela banda e pelo selo Decca, uma delas, mostrava um banheiro público pichado, lançada apenas duas décadas depois. Com prazo para lançamento do disco se esgotando, a banda optou pelo simples convite para o banquete, de fundo branco, lembrando a capa do Álbum Branco dos Beatles, lançado algumas semanas antes, o que levou novamente a comparações entre as duas bandas e nova s acusações de imitações dos Beatles por parte dos Rolling Stones.

O trabalho da banda ressalta a sua boa forma, foi um verdadeiro marco em vendas e chegou ao 3º lugar no Reino Unido e 5º nos EUA. Destaques para "Simpathy For The Devil" (que foi banida das rádios, o que não a impediu de mostrar ao mundo sua genialidade e criatividade em letra e parte instrumental), "Street Fighting Man" (que marcou uma tentativa da banda de se politizar, aderindo aos tempos em que viviam), "No Expectation", "Prodigal Son", (mostrando o puro rock da banda) e "Factory Girl".

Resenha Publicada em 30/10/2013





Esta resenha foi lida 1284 vezes.




Busca por Artistas

A B C D E F G H I J K L M N O P Q R S T U V W X Y Z





Outras Resenhas do Artista

CDs


DVDs


Livros


Outras Resenhas