Resenha do Cd Recanto Ao Vivo / Gal Costa

RECANTO AO VIVO title=

RECANTO AO VIVO
GAL COSTA
2013

UNIVERSAL MUSIC
Por Valdir Junior

Quando Gal Costa lançou no final de 2011 o CD “Recanto”, muita gente estranhou a sonoridade do álbum, não tanto pela incorporação de batidas e texturas eletrônicas e efeitos vocais, mas porque não se esperava esse tipo de som e interpretação em um disco de Gal Costa. “Recanto” foi todo composto Caetano Veloso e produzido por ele e seu filho Moreno Veloso, aos poucos e após varias audições, o álbum foi ganhando mais simpatia tanto dos críticos como do publico.

Muito da aceitação e do consenso que “Recanto” é um ótimo álbum se deve as apresentações “ao vivo” que Gal começou a fazer para divulgar o disco, com interpretações extraordinárias e arrebatadoras que crescem muito no palco e conseguem realçar detalhes que no álbum de estúdio quase passam despercebidos.

“Recanto ao Vivo” é o resultado de duas noites de apresentações em outubro de 2012 no Teatro Tereza Rachel, no Rio de Janeiro, que foi reformado e agora chamado “Net”, o mesmo local onde ela gravou um de seus discos históricos, o essencial e catártico “Fa-tal - Gal a Todo Vapor” (1971), um dos melhores discos ao vivo já gravado no Brasil e também o primeiro ao vivo de Gal.

Existe uma outra conexão entre “Recanto ao Vivo” e “ Fa-tal “, que vai além do local de gravação. Ambos os discos trazem acompanhando Gal um banda afiadíssima, composta de músicos jovens e antenados ao seu momento histórico. “Fa-tal” tinha o fantástico Lanny Gordin (guitarra), Tutty Moreno (bateria) e também Pepeu Gomes (guitarra), que substituiu Lanny durante a turnê, entre outros, e “Recanto ao Vivo” traz Pedro Baby, filho de Pepeu, nas guitarras e violões, Domenico Lancellotti (bateria e MPC) e Bruno Di Lullo (baixo), músicos que se tornam imprescindíveis diante do feelings, pegada e vigor que dão aos arranjos.

Como “Fa-tal”, “Recanto ao Vivo” alterna momentos de voz e violão, muito intimistas com outros puxados para o Rock, com peso e força e agora também com pulsantes arranjos de batidas e programações eletrônicas, que aliadas a voz e a interpretações de Gal se tornam momentos quase únicos e inesquecíveis de uma artista que não tem medo de se entregar no palco e fazer as canções se tornarem tão vivas, presentes e intensas no seu coração assim como da platéia/ouvinte.


Com direção musical no show de Caetano e produzido por Moreno Veloso, “Recanto ao Vivo” traz Gal cantando nove musicas do álbum “Recanto”, com destaque para “Recanto Escuro”, “Autotune Autoerótico” e “Mansidão”, e mais “Baby”, “Meu Bem, Meu Mal”, “Força Estranha”, “Dom de Iludir” e “Da Maior Importância”, todas compostas por Caetano e já gravadas por Gal durante sua carreira e que aqui se encaixam como uma luva no repertorio de “Recanto”, outros sucessos de Gal como: “Vapor Barato”, “Divino Maravilhoso”, “Folhetim”, “Barato Total” e “Modinha para Gabriela”, também são incorporados ao novo repertório e, com novos arranjos, ganham um novo frescor e vitalidade surpreendentes.

Lançado também em DVD “Recanto ao Vivo” é um CD que mostra o show de uma cantora que consegue com facilidade se reinventar, tornando seu canto e arte afinados com os novos sons e cenários musicais, ao mesmo tempo que olhando para o passado, presente e para um futuro que se insinua no horizonte.

Resenha Publicada em 09/12/2013





Esta resenha foi lida 1239 vezes.




Busca por Artistas

A B C D E F G H I J K L M N O P Q R S T U V W X Y Z





Outras Resenhas do Artista

CDs


Outras Resenhas