Resenha do Cd High Hopes / Bruce Springsteen

HIGH HOPES title=

HIGH HOPES
BRUCE SPRINGSTEEN
2014

SONY MUSIC
Por Thais Sechetin

E o artista Mister simpatia do último Rock in Rio está de trabalho novo! High Hopes é o 18º trabalho de Bruce Sprinsteeen, que nos auge dos seus 64 anos esbanja energia e sim, deixa muito garoto novo a ver navios ou engolir poeira. O álbum foi lançado dia 14 de janeiro nos EUA e muito antes de seu lançamento ele já era assunto badalado no mundo da música.

O trabalho conta com a participação da E-Street Band que acompanha o cantor em suas turnês há anos. E a Street Band ainda conta com um convidado especial: Tom Morello (ex-Rage Against The Machine/Audioslave). O músico participou da turnê australiana de Springsteen ano passado e de acordo com o Boss, Morello foi "a musa" que levou o álbum High Hopes a outro nível. No álbum, Morello faz um dueto com Springsteen na faixa "The Ghost of Tom Joad".

Ouvir o disco é como uma viagem no tempo e por diversos ritmos. A faixa título já abre o álbum com uma melodia e ritmo que nos coloca para cima, embora sua letra seja de críticas aos dias atuais. Já a faixa seguinte,"Harris Place" mescla a sonoridade dos anos 80/90 com um refrão mais moderno.

O disco segue alternando por músicas mais agitadas e introspectivas, algumas mudanças de ritmo ("Heaven’s Wall") até a chegar em "This your Sword". Dela, até a última faixa "Dream Baby Dream", o trabalho segue com músicas que resgatam o lado melancólico do músico. Não se sabe ao certo se pode comparar com o disco "Darkness on The Edge Of Town", álbum lançado nos anos 70, posterior ao "Born To Run". Essa que vos escreve acredita que sim, mas o que sentimos ao ouvir um disco novo é sempre algo muito pessoal.

Há também quem possa achar que da faixa 8, a já citada "This is Your Sword" até a última o álbum fique lento demais, com músicas calmas demais, mas quem tiver essa impressão, recomenda-se que ouça o trabalho mais uma vez. Quem não fizer, perderá a oportunidade de descobrir belíssimas canções reproduzidas no disco em um trabalho musical fantástico.

Destaques para a faixa título, "Heaven’s Wall", "Frankie Fell In Love" "The Ghost of Tom Joad" e as faixas em sequência "American Skin (41 Shots)", que finalmente foi lançada em um álbum mais acessível o público e merece uma nota especial e "Just Like Fire Would". Dá para imaginar as duas músicas em um show de Bruce tocadas na mesma ordem, uma contrapondo a outra.

Nota Mais que especial: "American Skin (41 Shots)" é uma música escrita por Bruce Springsteen em homenagem ao jovem imigrante da Guiné, Amadou Diallo, que foi morto por quatro policiais americanos a paisana. Os policiais dispararam 41 tiros, sendo que 19 acertaram o jovem, que durante o tiroteio estava desarmado. Os policiais faziam parte de uma unidade de Crimes de Rua.

A música também serviu como protesto ao assassinato de outro jovem imigrante, o Sul Africano Trayvon Benjamin Martin, que foi morto a tiros por Geroge Zimmerman, um vigilante de bairro. Após o julgamento e de Zimmerman ser absolvido, Bruce dedicou a Martin a canção durante um show na Irlanda dizendo" Justiça para Trayvon Martin".

Até o lançamento de High Hopes, "American Skin (41 Shots)" só havia sido lançada em versões ao vivo e sua primeira versão de estúdio está registrada em um EP raríssimo. Sua primeira gravação está no álbum "Live At New York City". A música também fez parte do Setlist do show de Bruce em São Paulo, em 18 de setembro de 2013.

Resenha Publicada em 20/01/2014





Esta resenha foi lida 1109 vezes.




Busca por Artistas

A B C D E F G H I J K L M N O P Q R S T U V W X Y Z





Outras Resenhas do Artista

CDs


Outras Resenhas