Resenha do Cd The Getaway / Red Hot Chili Peppers

THE GETAWAY title=

THE GETAWAY
RED HOT CHILI PEPPERS
2016

WARNER MUSIC
Por Rodrigo Paulo

5 anos é o tempo que separa “The Getaway” de “I’m With You”, o último disco oficial de inéditas lançado pelo Red Hot Chili Peppers. Nesse período, a banda fez uma grande turnê (passando pelo Brasil em duas ótimas oportunidades), recebeu duras críticas pelo disco lançado em 2011 (apesar do pequeno fã que vos escreve ter ouvido o trabalho da banda repetidas vezes com o mesmo entusiasmo de quem estava acabando de adquirir o disco), trocou de produtor (encerrando uma parceria de mais de 20 anos com Rick Rubin e confiando a produção do disco a Danger Mouse (que em entrevistas confessou ter sido muito exigente durante o processo de criação das músicas), o susto que os fãs e a própria banda passou diante do acidente de snowboarding que quase aposentou Flea de seu baixo, e teve tempo suficiente para familiarizar Josh Klinghoffer a banda (que aliás encontra-se muito mais a vontade nesse novo disco), prova de que o tempo pode beneficiar a qualquer um.

Falando das faixas do disco, “The Getaway” se apresenta como um disco com mais da metade de seu repertório voltado para baladas e hits radiofônicos, boa parte desse repertório também reflete o momento de desilusão amorosa vivido por Anthony Kiedis. Vide pelas primeiras faixas lançadas nas semanas que antecederam o lançamento do disco: a própria faixa título e “Dark Necessities”. Faixas de abertura onde o baixo é o instrumento de maior destaque, momentos assim se repetem no decorrer de um pouco mais de 50 minutos de música.

“We Turn Red”, “The Longest Wave” e “Goodbye Angels” lembram a sonoridade da banda já conhecida de outros discos. A partir desse momento o disco começa a ficar mais animado. “Sick Love”, uma parceria inédita e até então inusitada da banda com os hitmakers Elton John e Bernie Taupin na composição, tem forte pegada radiofônica e tem jeito de se tornar um dos próximos singles. A faixa é lenta, chieclete e de forte apelo popular e nem por isso deixa de ser boa. Ótima sacada da banda e de Danger Mouse.

Sob forte influência pop, soul e disco music “Go Robot” e “Feasting On The Flowers” surgem para fazer os mais desavisados dançarem. Provando serem as faixas mais inovadoras do disco. Enquanto as duas faixas abusam no dance, “Detroit” e “This Ticonderoga” põem mais rock no disco. Boas faixas que encerram o momento mais elevado do repertório. “Encore”, “The Hunter” e “Dreams Of A Samurai” fazem o ritmo desacelerar levando os ouvintes a um estágio de calmaria, conforme mostra de forma aparente, o atual momento da banda depois de anos de estrada, decepções, acidentes e aprimoramentos.

Num aspecto geral, “The Getaway“ mostra que uma banda com mais de 30 anos de estrada e mais de 20 anos trabalhando com o mesmo produtor fez muito bem em mudar seus hábitos. O resultado é um dos melhores, muito do já conhecido repertório da banda está presente, somado a parte inovadora experimentada pela banda, por mais que seus fãs mais ortodoxos provavelmente irão torcer o nariz diante do resultado final. Mas temos um “novo” Flea e um Josh mais a vontade na guitarra. O Red Hot Chili Peppers fez jus “a fuga” na qual se permitiu fazer. Vale a pena conferir esse momento da banda. Nota máxima!

Resenha Publicada em 05/07/2016





Esta resenha foi lida 1047 vezes.




Busca por Artistas

A B C D E F G H I J K L M N O P Q R S T U V W X Y Z





Outras Resenhas do Artista

CDs


Outras Resenhas