Resenha do Cd Que Maravilha (1966-1974) / Toquinho

QUE MARAVILHA (1966-1974) title=

QUE MARAVILHA (1966-1974)
TOQUINHO
2016

DISCOBERTAS
Por Valdir Junior

O violinista e compositor Toquinho é mais conhecido pela sua eterna parceria musical com o poeta Vinicius de Moraes, mas antes e paralelamente a parceria com Vinicius, Toquinho manteve uma bem sucedida e prolífera carreira solo. Carreira essa que produziu discos marcantes como: “Toquinho Tocando” (1977), “Aquarelas” (1983) e “Sonho Dourado” (1984) entre outras. Completando em 2016, setenta anos de vida e cinquenta de carreira, Toquinho tem quatro de seus álbuns relançados pelo selo Discobertas.

O box “Que Maravilha (1966-1974)” resgata os anos inicias de Toquinho com os discos: “A Bossa De Toquinho”, ‘Toquinho”, “Boca da Noite” e o raro “Botequim”; álbuns que trazem o maravilhoso violão de Toquinho, liderando de forma magistral, músicas instrumentais e outras em que a voz do cantor declama versos inspirados de parceiros como Jorge Ben Jor, Geraldo Vandré, Paulo Vanzolini e com o ator, diretor, dramaturgo Gianfrancesco Guarnieri.

E é em parceria com Guarnieri, e contando com a cantora Marlene, uma das rainhas da era do ouro do rádio, em algumas músicas, que o disco “Botequim”, trilha sonora para a peça teatral de mesmo nome e lançado em 1973, chega em CD, pela primeira vez, agora no Box “Que Maravilha (1966-1974)”. Já o disco, “A Bossa de Toquinho”, também conhecido e lançado, como "O Violão de Toquinho”, é um dos pontos fortes do box, totalmente instrumental, tem o violão de Toquinho acompanhado de órgão, flauta e bateria em temas de Baden Powell (“Canto de Ossanha”, “Deixa”); Edu Lobo (“Zambi”); Carlos Lyra (“Marcha de Quarta Feira de Cinzas”) e Elis Regina em parceria com Walter Silva (“Triste Amor Que Vai Morrer”); Um disco maravilhoso, verdadeira e inesquecível aula de violão, harmonia e dedilhado.

Os discos “Toquinho’ e “Boca da Noite” são exemplos do bom gosto e da técnica exuberante de Toquinho no violão e mostra a influência de Paulinho Nogueira, grande mestre do violão brasileiro, no seu estilo de tocar e harmonizar, ao lado de músicas em que a voz macia de Toquinho divide a nossa atenção como: “Que Maravilha” em dueto com Jorge Bem Jor (ainda Jorge Bem); “Dobrando a Esquina”; "Carolina Carol Bela”; “Boca Noite”; “Uma Rosa em Minha Mão”, que traz um tema e uma melodia bem parecida com “Aquarela” um futuro sucesso de Toquinho.

Cada vez mais primando pelo resgate da memória musical brasileira e colocando nas prateleiras das lojas físicas e virtuais, discos importantes, relançados com um cuidado e uma atenção tanto no som resmaterizado, como na qualidade gráfica e completa das obras, o selo Discobertas, acerta outra vez em cheio com esse maravilhoso Box “Que Maravilha (1966-1974)” de Toquinho, um dos músicos mais importantes da música brasileira.

Resenha Publicada em 01/11/2016





Esta resenha foi lida 691 vezes.




Busca por Artistas

A B C D E F G H I J K L M N O P Q R S T U V W X Y Z





Outras Resenhas do Artista


Outras Resenhas