Resenha do Cd Sticky Fingers / Rolling Stones, The

STICKY FINGERS title=

STICKY FINGERS
ROLLING STONES, THE
1971

UNIVERSAL MUSIC
Por Thais Sechetin

A primeira característica é ser o primeiro álbum de Mick Taylor e o primeiro sem qualquer contribuição do guitarrista Brian Jones, morto em 1969.

O disco é o primeiro a chegar ao topo das paradas dos Estados Unidos e da Inglaterra ao mesmo tempo.

O álbum é o primeiro a ser lançado pelo selo Rolling Stones Records, após quase uma década de trabalho com a Decca Records e a London Records e é o primeiro trabalho também a exibir o famoso símbolo "Tong and Lip", desenhado por John Pasche e inspirado na boca de Mick Jagger.

E por falar em arte, a capa do disco já é uma fonte de episódios polêmicos, e dúvidas sobre o que é mito e o que é verdade. Nela, aparece a virilha de um jovem vestido com uma calça Jeans onde é possível perceber um certo "volume". Há quem acredite que a foto era de Mick Jagger, mas outras versões apontam para um dos modelos de Andy Wharol, artista underground de Nova York que assina o trabalho. Da ousadia de Mick Jagger e a criatividade de Wharol, surgiu a ideia de uma capa onde, o zíper da calça na foto fosse de verdade, e, ao abrir, apareceria um pedaço de uma cueca de algodão, mas pelo fato do zíper poder prejudicar o vinil, a capa teve que ser readaptada.

Em alguns países, foi considerada polêmica, indecente e teve que ser trocada, pela arte de uma mão dentro de uma lata de um líquido preto parecido com óleo.

O álbum abre com o clássico "Brown Sugar", indispensável em shows até hoje. É mais um trabalho que conta coma criatividade e versatilidade dos Rolling Stones, mais uma boa mescla de Blues e Rock N Roll. O Blues, pode-se obter em músicas como "You Gotta Move", um pouco de música country na irônica "Dead Flowers" e baladas como o outro clássico "Wild Horses", onde a voz de Mick Jagger casa perfeitamente com bem elaborado trabalho instrumental. O trabalho conta também com referências explícitas ao uso de drogas, mostrado na música "Sister Morphine".

Destaques para os clássicos "Brown Sugar" "Wild Horses", a forte "Sway", "Dead Flowers" e bela balada que encerra o disco , "Moonlight Mile".

Resenha Publicada em 04/12/2013





Esta resenha foi lida 1284 vezes.




Busca por Artistas

A B C D E F G H I J K L M N O P Q R S T U V W X Y Z





Outras Resenhas do Artista

CDs


DVDs


Livros


Outras Resenhas