Discografia Comentada - Golpe De Estado

GOLPE DE ESTADO title=

GOLPE DE ESTADO

São Paulo - Brasil
Desde: 1985
Site oficial: http://www.golpedeestado.com.br/

Descrição do Artista
Grupo de rock formado por Catalau (voz), Hélcio Aguirra (guitarra), Nelson Brito (baixo) e Paulo Zinner (bateria) na cidade de São Paulo (SP) em 1985. Considerado um dos melhores grupos da vertente hard do rock brasileiro, lançou seus dois primeiros discos pelo selo paulista Baratos Afins, de São Paulo: 1986 "Golpe de estado" e em 1988 "Forçando a barra". A partir de 1989, o conjunto passou a gravar pela Eldorado, lançando outros três LPs. No início da década de 1990, abriu os shows da turnê brasileira de grupos ingleses que marcaram o panorama do rock internacional nos anos 60 e 70. Em 1990, abriu para o Jethro Tull e para o Nazareth, no ano seguinte, para o Deep Purple, banda que junto ao Led Zeppelin e ao Black Sabath, é referência básica do estilo hard. Em 1995, o selo Baratos Afins relançou os dois primeiros LPs do grupo em um único CD. No ano seguinte, Catalau deixou o grupo para se lançar em carreira solo. Foi substituído por Rogério Fernandes, que atuaria posteriormente nos grupos Fickle Pickle e Big Balls.

Esta discografia foi acessada 3128 vezes.


Álbuns
    GOLPE DE ESTADO
    1986
    Por Valdir Junior




    Lançado pelo selo independente Baratos Afins da loja de discos de mesmo nome de São Paulo e com produção de Luiz Calanca, o primeiro registro fonográfico da banda com sua formação “clássica”: Catalau (vocal), Hélcio Aguirra (guitarra), Nelson Brito (baixo) e Paulo Zinner (bateria), é um verdadeiro “golpe” no Rock nacional, aqui o mais puro e sincero Hard Rock já feito no Brasil, com letras totalmente em português cantadas com uma “malícia” típica do vocalista Catalau, aliado aos riffs, solos e timbres de guitarra de Hélcio Aguirra e a “cozinha” de Paulo e Nelson, uma das mais incendiárias e perfeitas de rock, criaram a identidade única e carismática para a banda. Destaque para os “hinos”: "Libertação Feminina", "Undenground", "Pra Conferir" e "Olhos de Guerra".

    FORÇANDO A BARRA
    1988
    Por Valdir Junior




    Também lançado pela Baratos Afins e co-produzido pela banda e por Luiz Calanca, “Forçando a Barra” é uma verdadeiro “greatest hits” do Golpe , 99% das músicas se tornaram verdadeiros hinos do rock and roll, com nos shows as músicas sendo cantadas em coro pelo público. Contando com a participação de grandes músicos da cena paulistana como André Christovam (guitarra) e Bocato (Trombone) no blues “Moondog” e os “Titãs” Arnaldo Antunes e Branco Mello nos backing vocals de "Onde há Fumaça, Há Fogo", com esse álbum o Golpe de Estado se consagrou como uma das grandes bandas de Hard Rock de todos os tempos no Brasil. Destaque para o hino roqueiro das noites: "Noite de Balada", e para "Parte do Inferno", e a faixa título “ Forçando a Barra” com uns dos riffs de guitarra mais emocionantes de todos os tempos. AVISO “Esse é um disco que não pode faltar na sua coleção”.

    NEM POLÍCIA NEM BANDIDO
    1989
    Por Valdir Junior




    Primeiro disco lançado por uma gravadora maior (Eldorado) e produzido por André Christovam e Alexandre Fontanetti, que conseguem fazer o som do Golpe ficar ainda mais alto e definido ressaltando mais as características de cada instrumento. Novamente o Golpe faz um álbum repleto de músicas que logo conquistam o público nos shows, não deixando ninguém quieto ou parado diante dos petardos sonoros: "Não é Hora", "Filho de Deus", "Nem Polícia, Nem Bandido" com seu riff incendiário e as baladas pesadas: "Paixão" e "Ignoro". AVISO “Esse é um disco que não pode faltar na sua coleção”.

    QUARTO GOLPE
    1991
    Por Valdir Junior




    O segundo lançamento pela Eldorado é um álbum com uma sonoridade mais radiofônica e até mesmo pop, sem deixar o peso e a paixão (marcas registradas da banda) de lado. Lançando com uma grande campanha de promoção, com direito ate ao primeiro vídeo clipe na MTV para a música “Caso Sério” e aparições nos principais programas de música no rádio e TV da época. Paulo Zinner pela primeira vez trás uma música só sua ("Sanguessugas") feita na medida para ele detonar sua bateria em um solo matador tanto no disco quanto ao vivo. Destaque para a ultra-radiofônica “Real Valor” e também para “Dias de Glória”, ”Mal Social” e “ Retorno”.

    ZUMBI
    1994
    Por Valdir Junior




    Depois de três anos o Golpe volta com esse disco que é uma síntese dos seus quatro álbuns anteriores, com uma atenção maior no formato radiofônico o Golpe pela primeira vez grava covers do The Who (“My Generation”) e Chico Buarque (“Hino de Duran”) e compõem junto de Rita Lee a faixa titulo “Zumbi” e com Arnaldo Antunes a faixa “No Entanto”, tanto Rita como Arnaldo fazem os backing vocals nas respectivas músicas. O Trambonista Bocato também participa na faixa “Olhos Vendados”. Este foi o último disco de estúdio com Catalau que deixa a banda em 1996 após vários problemas de comportamento e dependência de drogas. Destaque para a bombástica “Quantas Vão” e para "35MM", "Mal a Pior", "Mais ou Menos" e a balada "Gostar de Você".

    10 ANOS AO VIVO
    1997
    Por Valdir Junior




    Gravado na casa de shows Adler em vinhedos (SP) nos dias 31/08 e 01/09/1996 ainda com Catalau no vocal, o repertório traz músicas de todos os álbuns da banda, mas mesmo assim muitos “clássicos” ficam de fora, o que deixa uma sensação de que temos o show pela metade, assim sucessos como “Quantas Vão”, “Caso Sério”, “Paixão”, “Noite de Balada” e “Olhos de Guerra” aparecem em boas versões ao vivo. Como Bônus Track, duas novas faixas de estúdio com o vocalista Rogério Fernandes: a explosiva e ensurdecedora “Todo Mundo Tem Um Lado Bicho” e “Cada Dia Bate de Um Jeito”.

    PRA PODER
    2004
    Por Valdir Junior




    Depois de 10 anos o Golpe lança um novo álbum, agora com o vocalista Kiko Muller que já estava com a banda fazendo shows desde o final dos anos 90. Com uma sonoridade um pouco mais elaborada com o uso de teclados, sintetizadores, flautas nas canções e pela primeira vez uma balada acústica “Os Mil Sóis”. Esse foi o último trabalho em que Paulo Zinner, um dos fundadores da banda participa, ele e o vocalista Kiko deixam a banda em 2010. Destaque para as faixas “Pra Poder”, “Cinza”, “Vagablues” e “Helena de Tróia”.

    DIRETO DO FRONTE
    2012
    Por Valdir Junior

    Ler resenha completa


    Com as energias renovadas com a entrada de dois novos integrantes: Dino Linardi (Vocal) e Roby Pontes (bateria), e com um novo contrato com a gravadora substancial music, o Golpe lança um disco com a mesma garra e vontade como dos quatro primeiros discos. As letras voltam a ter aquela malícia e malandragem, o carisma e o vocal de Dino contagiam e ganha o ouvinte de cara, Roby tem uma pegada forte, inquieta e cheia de personalidade que pulsa junto ao baixo de Nelson fazendo o coração da banda bater bem forte. Helcio desfila riffs e timbres com uma urgência que colorem as notas de sua guitarra com timbragens excelentes. Destaque para “Falo Que Não Faço”, “Feira do Rato”, “Um de Nós” e “Rockstar” que tem a participação de Dinho Ouro-Preto do Capital Inicial nos vocais.



Busca por Artistas

A B C D E F G H I J K L M N O P Q R S T U V W X Y Z





LOJALOUCOSPORMUSICA - camisetas, miniaturas, chaveiros

Acesse: https://www.loucospormusica.com/

Outras Discografias

Outras Resenhas