Discografia Comentada - Charlie Brown Jr

CHARLIE BROWN JR title=

CHARLIE BROWN JR

Santos - Brasil
Desde: 1992
Site oficial: http://www.charliebrownjunior.com.br/

Descrição do Artista
O Charlie Brown Jr surgiu na cidade de Santos em 1992, gravando o primeiro álbum em 1997 com muito sucesso. Pioneiro no ritmo resultante da fusão do rap, ska e hardcore, o grupo não demorou muito a cair no gosto da rapaziada que curtia Rock na época, bem antes do grupo emplacar diversas canções em seriados, novelas e filmes. Com diversas mudanças em sua formação, problemas internos e externos, mas com a autenticidade inabalável, o grupo esteve quase sempre em alto nível, até que as tragédias ceifaram a vida de Chorão e Champignon, levando, obviamente, ao fim do grupo em 2013.

Esta discografia foi acessada 1816 vezes.


Álbuns
    TRANSPIRAÇÃO CONTINUA PROLONGADA
    1997
    Por Anderson Nascimento




    O primeiro álbum do grupo fez um estrondoso sucesso, nele o grupo inaugura um estilo musical bastante original, resultado da fusão do rap, ska e hardcore, que viria a ser copiado por várias bandas que vieram depois. O disco emplacou diversos sucessos como “O Coro Vai Comer”, “Tudo Que Ela Gosta de Escutar”, “Sheik”, “Gimme O Anel”, “Quinta-Feira”, “Proibida Pra Mim”, ou seja, das 13 faixas do disco (excetuando as 3 vinhetas), metade das faixas tocaram (e muito) nas rádios. A estreia da banda se notabilizou por ser um disco de faixas curtas, peso, atitude e uma identidade que atraiu pra si uma grande quantidade de fãs que os acompanharia fielmente durante todos os anos em que a banda esteve na ativa.

    PREÇO CURTO, PRAZO LONGO
    1999
    Por Anderson Nascimento




    O segundo álbum da banda surpreende pelo número exagerado de canções, 24, incluindo as vinhetas, em um disco simples, daí o nome do álbum. O disco se caracteriza por trazer uma série de “depoimentos” de Chorão sobre a sua própria vida, traduzidos em canções como “Confisco”, “O Preço”, “O Puxa Carro” e “333”. O disco também conseguiu emplacar uma boa quantidade de sucessos: “Confisco”, “Zóio de Lula”, “Te Levar Daqui”. Embora tenha uma tendência ao Rap, musicalmente o disco segue a pegada do anterior, mas poderia ter sido melhor avaliado quanto a seleção e quantidade de canções.

    NADANDO COM OS TUBARÕES
    2000
    Por Anderson Nascimento




    O disco teve apenas dois grandes sucessos a faixa “Rubão – O Dono Do Mundo”, que inclusive ganhou um videoclipe muito bacana, e o megassucesso “Não é Sério”, que conta com a participação da cantora Negra Li. Apesar disso, o disco teve boa repercussão, embora menos que os anteriores, e agrega boas faixas como “O Penetra” e “Tudo Mudar”. O disco apresenta uma sonoridade mais pesada em relação aos dois álbuns anteriores, canções como a própria “Rubão” e “Essa é Por Quem Ficou Pra Trás”, comprovam a linha roqueira a qual o álbum se baseia. Curiosamente em alguns momentos o disco dá a impressão de inacabado, principalmente quando ele vai caminhando para o seu final.

    100% CHARLIE BROWN JR – ABALANDO A SUA FÁBRICA
    2001
    Por Anderson Nascimento




    O quarto disco da banda é também o primeiro sem o guitarrista Thiago Castanho, que retornaria à banda quaro anos depois, em 2005. Com faixas mais pesadas, o disco se distancia do Rap ora praticado pelo grupo. O disco emplacou três sucessos: “Hoje Eu Acordei Feliz”, “Lugar Ao Sol” e “Como Tudo Deve Ser”.

    BOCAS ORDINÁRIAS
    2002
    Por Anderson Nascimento




    O disco abre com o sucesso “Papo Reto” e traz também o hit “Só Por Uma Noite”. O álbum apresenta a primeira cover feita pela banda “Baader-Meinhof Blues” da Legião Urbana, que aqui ganhou uma versão acelerada. Outra novidade no disco é a inclusão, pela primeira vez, de uma canção inteiramente em inglês, o Rock “My Mini Ramp”. O disco tem o mérito de possuir uma sonoridade mais limpa, com canções, em sua maioria, mais inteligíveis. Destacam-se também neste trabalho faixas como “Hoje Eu Só Procuro a Paz”, “Boca Ordinárias, Guerrilhas”, e “Sou Quem Eu Sou”.

    ACÚSTICO MTV
    2003
    Por Anderson Nascimento

    Ler resenha completa


    Um dos sinônimos de sucesso naqueles tempos era gravar um disco com o selo da MTV, e o CBJ tinha alcançado o status de uma das maiores bandas do país naquela época, tanto que, apesar de enfileirar diversos hits em versões mais calmas, a banda se deu ao luxo de deixar alguns sucessos de fora do disco. Com participações especiais de Negra Li, Marcelo Nova, Marcelo D2 e RZO, a banda deu um show e consolidou a sua posição no cenário roqueiro nacional. O disco é tido como um dos Acústicos mais bacanas já gravados, parte desse sucesso pôde ser comprovado pela incrível vendagem de mais de 250 mil cópias. Além das inéditas “Vícios e Virtudes” e “Não Uso Sapato”, a banda também releu “Samba Mokossa” (Chico Science), “Hoje” (Camisa de Vênus) e “Oba, Lá Vem Ela” (Jorge Ben Jor).

    TAMO AÍ NA ATIVIDADE
    2004
    Por Anderson Nascimento




    Lançado em um momento onde a banda desfrutava novamente de grande sucesso impulsionado pelo bem sucedido “Acústico MTV”, a banda aposta em uma sonoridade que agrega batidas e apetrechos eletrônicos em seu som, principalmente em canções como “Eu Vim de Santos Sou Charlie Brown”. Com produção de Rick Bonadio, o disco teve os sucessos “Champanhe e Água Benta” e a faixa título “Tamo Ai na Atividade”. Redondo, o disco agrega outras boas faixas como a balada “Longe de Você” e “Vivendo Nesse Absurdo”. Após o lançamento desse álbum todos os membros do grupo (exceto Chorão) se desligaram da banda alegando divergências diversas. Muito bem sucedido em termos de vendas, o disco também ganhou o Grammy Latino como melhor disco de Rock.

    IMUNIDADE MUSICAL
    2005
    Por Anderson Nascimento




    O primeiro álbum com a formação sem o baixista Champignon e o guitarrista Marcão talvez seja um dos álbuns mais completos da carreira do CBJ. O disco tem Rocks bem pesados como “No Passo a Passo”, “Quente” e “Liberdade Acima de Tudo”, baladas, raps, além de megassucessos como “Lutar Pelo é Que É meu”, “Ela Vai Voltar (Todos os Defeitos de Uma Mulher Perfeita)” e “Senhor do Tempo”. Isso sem contar com momentos inspiradíssimos em faixas que acabaram se tornando lados B de luxo, caso de “Onde Não Existe a Paz Não Existe o Amor”, “O Mundo Vai Explodir Lá Fora”, “Abrir Seus Olhos” e “Dias de Luta, Dias de Glória”. Neste disco Chorão usou e abusou de vários recursos: cantou em inglês, espanhol, fez parcerias, inseriu efeitos, colocou orquestra, e ainda gravou um cover para “Pra Não Dizer Que Não Falei das Flores”, de Geraldo Vandré, em versão Ska, ufa! O único pecado do álbum é justamente uma de suas características principais, o número excessivo de faixas, mas o disco foi um grande sucesso, vendendo mais de 100 mil cópias.

    RITMO RITUAL E RESPONSA
    2007
    Por Anderson Nascimento




    O nono álbum da banda traz a trilha sonora do filme “O Magnata” (2007), que foi escrito por Chorão. O disco conta com várias participações especiais como MV Bill, Ratos de Porão e Forfun. O álbum contou com vários sucessos como “Não Viva Em Vão”, “Uma Criança Com Seu Olhar”, “Direto Reto e Sempre”, “Pontes Indistrutíveis” e “Be Myself”, tendo as duas últimas entrado para trilha sonora de novelas globais. Este foi o último trabalho da banda pela gravadora EMI, que até então tinha lançado todos os seus álbuns e DVDs. O disco tem 23 faixas, incluindo uma versão ao vivo de “Senhor do Tempo”, colocada no disco como faixa bônus.

    DE 1997 A 2007
    2007
    Por Anderson Nascimento




    Lançada em CD duplo, trazendo 28 faixas, esta é a única coletânea oficial da banda. O disco não traz absolutamente nenhum atrativo como faixas raras, lados B, ou canções inéditas, tratando apenas de enfileirar os sucessos do grupo até o ano de 2007. Indicado apenas para os fãs completistas.

    PAPO RETO
    2011
    Por Anderson Nascimento




    Com o fim do contrato com a EMI, a gravadora lançou esta coletânea compilando 16 canções de sucesso da banda. Novamente não há atrativos para o fã que possui todos os álbuns do grupo.

    MÚSICA POPULAR CAIÇARA AO VIVO
    2012
    Por Anderson Nascimento




    Lançado em CD, DVD e Blu-Ray, o título flagra a banda novamente em boa fase em shows ocorridos em Santos e Curitiba, mas acabou sendo o último álbum da banda lançado por Chorão em vida. O disco agrega a gravação em estúdio da canção inédita “Céu Azul”. Como convidados, o álbum traz Zeca Baleiro, em uma versão acústica de Proibida Pra Mim, Marcelo Nova, em Coração Satânico e Marcelo Falcão (O Rappa) em “Não é Sério” e “Me Deixa”. O disco também marcou a volta de dois membros originais do grupo, o baixista Champignon e o guitarrista Marcão. A versão em CD é bastante reduzida em relação ao DVD, pois enquanto o DVD traz 28 músicas, o CD traz apenas 15.

    LA FAMILIA 013
    2013
    Por Anderson Nascimento

    Ler resenha completa


    O décimo álbum de estúdio da banda é também o primeiro (e até agora único) trabalho póstumo da banda CBJ. As vozes de Chorão e algumas bases instrumentais do álbum já haviam sido gravadas, mas a finalização ocorreu apenas após a morte de Chorão. A posterior morte de Champignon levou ao adiamento do álbum. Em termos musicais o trabalho não deixa nada a desejar aos álbuns mais antigos, apresentando os bons singles “Meu Mundo Novo”, “Um Dia a Gente Se Encontra” e “Rock Star”.



Busca por Artistas

A B C D E F G H I J K L M N O P Q R S T U V W X Y Z



Saiba como anunciar no Galeria Musical

Outras Discografias

Outras Resenhas